EnglishPortugueseSpanish

Abril será um mês de céu movimentado. Teremos duas missões tripuladas à Estação Espacial Internacional (uma russa, uma norte-americana), inúmeros lançamentos de satélites, o início da construção da estação espacial chinesa e vários eventos naturais, como a conjunção de três planetas com a Lua, uma superlua e uma chuva de meteoros. Prato cheio para todos os que gostam de acompanhar as maravilhas do espaço.

Veja abaixo nosso calendário astronômico de abril com os eventos e datas mais importantes. Lembramos que todas as datas, horários e referências geográficas consideram um observador baseado em Brasília, e podem ser ligeiramente diferentes (para mais ou para menos) de acordo com sua posição no país.

publicidade

Calendário astronômico de abril

6 de abril: conjunção entre a Lua e Saturno, ou seja, ambos os astros estarão próximos no céu. O par será visível a partir das 1h48, quando a Lua surgirá no horizonte ao leste, com Saturno logo à esquerda. Mas o melhor horário para observá-los será quando os astros estiverem altos no céu, por volta das 5h.

Lua, Saturno e Júpiter como estarão no céu às 5h da manhã de 6 de Abril. Fonte: Stellarium Web

7 de abril: conjunção entre a Lua e Júpiter. O par surgirá no horizonte ao leste por volta das 2h38, mas novamente o melhor horário para observá-los é quando estiverem altos no céu, por volta das 5h. Júpiter estará diretamente acima da Lua.

Também em 7 de abril teremos o lançamento da missão Starlink 23, com 60 satélites para a constelação Starlink a bordo de um foguete Falcon 9 que decolará da Base da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, nos EUA. A decolagem está programada para as 13h34, e será transmitida no site da SpaceX.

9 de abril: um foguete russo Soyuz irá lançar a espaçonave Soyuz MS-18 rumo à Estação Espacial Internacional, com os cosmonautas russos Oleg Novitsky e Pyotr Dubrov e o astronauta norte-americano Mark Vande Hei a bordo. A decolagem está programada para as 4h42 a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

16 e 17 de Abril: a astronauta Kate Rubins, da Nasa, e os cosmonautas russos Sergey Ryzhikov e Sergey Kud-Sverchkov retornarão da Estação Espacial Internacional a bordo da espaçonave Soyuz MS-17. A espaçonave deixará a estação às 22h34 de 16 de Abril e pousará proxima a Dzhezkazgan, no Cazaquistão, às 1h57 do dia 17. 

Também em 17 de abril haverá uma conjunção entre Marte e a Lua. O par será visível a partir do pôr do sol na direção oeste, e ficará visível até as 21h45, quando irá se pôr no horizonte.

19 de abril: lançamento do foguete Arianespace Vega VV18 a partir do Espaçoporto da Guiana em Kourou, na Guiana Francesa. A bordo estarao o satélite de observação terrestre Pléiades Neo 1, da Airbus, e múltiplas outras cargas. A decolagem está programada para as 22h50.

22 de abril: lançamento da missão Crew-2 da SpaceX, levando os astronautas Shane Kimbrough e Megan McArthur (Nasa), Akihiko Hoshide (Jaxa), e Thomas Pesquet (ESA) para a ISS. A decolagem do foguete Falcon 9 está programada para as 7h11 a partir da histórica Plataforma 39A do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, e será transmitida ao vivo no site da SpaceX e aqui no Olhar Digital.

Astronautas da Crew-2, usando trajes espaciais, treinam a bordo de uma cápsula Crew Dragon
Astronautas da Crew-2 treinam para a missão a bordo de uma Crew Dragon. Da esquerda para a direita: Thomas Pesquet, Megan McArthur, Shane Kimbrough e Akihiko Hoshide

21 a 22 de Abril: pico da chuva de meteoros Líridas, que tem este nome pois parecem emanar da constelação de Lira, da qual faz parte a estrela Vega. Na verdade, são pedaços do cometa C/1861 G1 “Thatcher”. O melhor momento para observá-la será por volta das 4h do dia 22 de Abril, olhe na direção norte.

Infelizmente, o brilho da Lua quase cheia atrapalhará a observação. Em condições ideais, ou seja, com céu claro e longe da poluição visual das grandes cidades, a estimativa é que sejam visíveis até 11 meteoros por hora.

25 de abril: lançamento da missão OneWeb 6 com 36 satélites da constelação OneWeb, a bordo de um foguete Soyuz a partir do cosmódromo de Vostochny, na Sibéria. A decolagem está programada para as 23h47.

26 de abril: lançamento de um foguete Delta IV Heavy da United Launch Alliance (ULA) carregando um satélite espião para o Escritório Nacional de Reconhecimento (NRO, National Reconnaissance Office) dos EUA. A decolagem da missão NROL-82 será a partir do Complexo de Lançamento Espacial Nº 6 da Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia, ainda sem horário definido.

Também em 26 de abril temos uma superlua, conhecida pelos nativos nos EUA como “Full Pink Moon” pois seu surgimento coincide com a florada de uma planta de flores rosadas típica dos EUA. 

29 de abril: lançamento do Tianhe 1, módulo central da nova estação espacial Chinesa. O foguete Longa Marcha 5B irá decolar do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang, na província de Hainan, na China. O horário ainda não foi definido.

Como se orientar

Para acompanhar nosso calendário astronômico, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Apps como o Sky Safari são essenciais para acompanhar nosso calendário astronômico
O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

Fonte: Space.com