EnglishPortugueseSpanish

Tassilo Heinrich, um norte-americano morador da Califórnia, foi indiciado em um processo onde é acusado de acessar dados de lojistas e consumidores da plataforma de e-commerce Shopify para ganhar uma vantagem competitiva e “roubar clientes” de outros lojistas. Heinrich, que na época do crime tinha 18 anos, também é acusado de vender os dados a comparsas, para uso em golpes

Em setembro passado o Shopify revelou que dois “membros desonestos” de sua equipe terceirizada de atendimento ao cliente executaram um roubo de dados que afetou “menos de 200” lojistas.

publicidade

Leia mais:

Segundo a empresa, os criminosos roubaram dados de consumidores incluindo nomes, endereços postais e detalhes de pedidos, como quais produtos e serviços foram adquiridos. Assim que o crime foi descoberto, os funcionários foram demitidos.

Heinrich é acusado de pagar a um destes funcionários, parte de uma equipe baseada nas Filipinas, para acessar partes da rede interna da Shopify e exfiltrar os dados tirando screenshots ou os enviando ao Google Drive. O funcionário teria recebido “milhares de dólares” em criptomoedas, e Heinrich teve acesso a um ano de dados de alguns lojistas.

Hacker ao telefone com uma vítima
Funcionário do serviço de atendimento ao cliente do Shopify acessava os dados de lojistas e clientes e os repassava a Heinrich. Imagem: Shutterstock

Heinrich foi preso no Aeroporto Internacional de Los Angeles em fevereiro deste ano, e atualmente está em uma penintenciária federal dos EUA aguardando julgamento, agendado para 7 de setembro. Ele se diz inocente.

Uma porta-voz do Shopify, Rebecca Feigelsohn, afirmou ao TechCrunch que “o Shopify cooperou com o FBI para investigar um incidente envolvendo os dados de um pequeno número de nossos comerciantes em setembro de 2020. Como afirmado anteriormente, os criminosos envolvidos não trabalham mais com o Shopify. Como há uma investigação criminal ativa, não podemos fornecer comentários adicionais no momento”.

Fonte: TechCrunch