Para fazer um protesto contra a Tesla após um acidente que quase tirou a sua vida e a de quatro membros de sua família, uma insatisfeita proprietária de um Model 3 subiu no topo de um dos carros da marca durante o primeiro dia do Salão do Automóvel de Xangai.

Vestindo uma camiseta branca escrita “os freios do veículo não funcionam”, em chinês, a mulher precisou ser arrastada e carregada para fora do local pelos seguranças após a manifestação, segundo vídeos e fotos que circularam nas redes sociais.

publicidade

Como é possível ver no vídeo abaixo, a mulher fica em pé no carro gritando por um tempo antes de ser escoltada por oficiais. Segundo relatos, os seguranças precisaram usar guarda-chuvas abertos para tentar esconder a mensagem na camiseta da moça, mas os gritos repetidos dela dizendo que “o freio da Tesla perdeu o controle” foram o suficiente para chamar a atenção.

De acordo com a Tesla, o protesto foi feito por uma mulher originária da província de Honã, no centro da China, que alegou que o seu Model 3 teve uma falha nos freios. O problema resultou em um acidente que, segundo ela, “quase resultou na morte de toda a sua família”.

A montadora afirma que “dá grande ênfase” aos direitos do consumidor e ofereceu várias soluções em negociações com a mulher, mas ela se recusou a fazer um check-up e insistiu em devolver o veículo. Inclusive, ela já é conhecida por protestar contra a Tesla regularmente e transmitiu até lives nas redes sociais chinesas próximo ao estande da marca no Salão de Xangai antes de começar o protesto em cima do carro.

Leia mais:

Ainda segundo a fabricantes dos elétricos de Elon Musk, as afirmações da mulher sobre o acidente quase fatal com o Tesla são falsas. Após o automóvel em questão ter sido devolvido, dados levantados mostraram que o carro estava viajando a quase 120 quilômetros por hora (km/h) e os sistemas de freio e alerta de emergência do Model 3 funcionaram corretamente.

A identidade da manifestante não foi divulgada e não se sabe se ela foi presa ou liberada após o episódio.

Fontes: Bloomberg e InsideEVs

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!