A polícia espanhola desmontou uma fábrica clandestina que imprimia armas em 3D. Os agentes acreditam que os responsáveis pelo armazém também estocavam e vendiam o armamento caseiro

A operação ocorreu em setembro do ano passado, mas foi mantida em sigilo desde então por conta de uma decisão judicial. Na ocasião, os policiais encontraram algumas armas já prontas sem numeração e material para produção de mais, como canos e magazines 

publicidade

Entre as peças prontas, estava um rifle de assalto e réplicas de outros modelos. A impressão de armas em 3D é algo que tem se popularizado entre os defensores de medidas mais frouxas em relação ao armamento civil, essa prática preocupa as autoridades, já que essas armas não possuem regulação ou qualquer tipo de controle. 

Os projetos de desenho industrial são compartilhados livremente pela web em fóruns e comunidades de aficionados por armamento. Um dos modelos mais populares é o FGC-9, que pode custar até R$ 550 para ser produzido.

Para se ter uma ideia, uma arma desse tipo não é encontrada por menos de R$ 7.780 em lojas especializadas dos Estados Unidos, onde a venda é permitida para civis. 

Ainda não está claro se o rifle havia de fato sido fabricado pelo dono do armazém, porém, é uma demonstração de como a impressão 3D pode democratizar o acesso a armas de fogo. 

Leia também: 

Possível célula terrorista

Arma impressa em 3D
Rifle impresso em 3D. Crédito: Patricio Cárpena no Pixabay

A polícia espanhola também revelou ter encontrado material para produção de explosivos dentro do depósito. De acordo com a agência de notícias Reuters, os donos do armazém também tinham manuais de guerrilha, livros sobre supremacia branca e material com símbolos neonazistas. 

O relatório divulgado pela polícia, porém, não informou se alguma das armas havia sido usada ou se tinha munição guardada no local. 

Com informações do Futurism 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!