EnglishPortugueseSpanish

A chance de ser infectado pela Covid-19 cai consideravelmente após a aplicação da primeira dose da vacina da Pfizer/BioNTech ou da AstraZeneca/Oxford. A informação é de um estudo britânico que diz que a primeira dose dessas vacinas protege pessoas mais velhas, mais vulneráveis e também os mais jovens e saudáveis.

A pesquisa surgiu da união do Office for National Statistics (ONS) e da Universidade de Oxford para descobrir a existência de uma forte resposta imunitária em todas as faixas etárias após tomarem a primeira dose de uma dessas duas vacinas.

publicidade

O estudo foi pré-publicado nesta sexta-feira (23) e afirma que as inoculações das vacina da Pfizer e AstraZeneca foram eficazes em indivíduos: com mais de 75 anos, com problemas de saúde latentes e pessoas mais novas ou mais saudáveis.

As descobertas são baseadas em testes realizados em cerca de 370 mil pessoas da população do Reino Unido e fornece mais evidências em um cenário mais realista sobre as vacinas aplicadas em território britânico.

Ao reduzir as taxas de infeção, as vacinas previnem as internações e mortes por Covid-19, além de quebrar as cadeias de transmissão. O time de pesquisadores afirmou ao The Guardian que as conclusões foram fundamentais para a decisão do governo britânico de priorizar a vacinação da primeira dose às pessoas mais velhas e aos grupos mais vulneráveis.

Leia mais:

Ao analisarem os resultados dos testes de Covid-19, concluiu-se que 21 dias após a primeira aplicação, as novas infecções pelo coronavírus diminuíram cerca de 65%. Por outro lado, as primeiras doses de vacinas foram mais eficazes contra infecções sintomáticas do que assintomáticas.

A segunda dose da Pfizer pode proteger até 90% contra a infecção pelo vírus. A imunização completa com a vacina aumentou mais a proteção, reduzindo as possibilidades de infecções sintomáticas em 90% e as assintomáticas em 70%.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!