Uma tempestade de areia “engoliu” o condado de Linze, localizado na província de Gansu, noroeste da China. A nuvem de areia gigantesca cobriu casas, prédios, fábricas e provocou diversos acidentes de trânsito, por causa da baixa visibilidade, no último domingo (25), de acordo com o canal estatal CCTV.

Os meteorologistas pediram à população local para que ficassem dentro de suas casas, com as janelas fechadas, já que mais areia passaria pelo local nesta terça-feira (27). O condado de Linze faz fronteira com a região da Mongólia Interior e tem cerca de 150 mil habitantes.

publicidade

Veja o vídeo:

Essas tempestades costumam acontecer nesta época do ano, a primavera no hemisfério norte. O fenômeno climático levanta areia do deserto de Gobi (curiosidade: ‘Gobi’ significa ‘deserto’, em mongol), o 5º maior deserto do mundo, que tem área de 1,295 milhão de quilômetros quadrados, um pouco maior do que o estado brasileiro do Pará, e ocupa o norte da China e sul da Mongólia.

Leia mais:

Confira mais fotos:

As tempestades de areia que saem do deserto conseguem chegar até lugares como Shandong, no leste da China. Com o aumento do tamanho de Gobi, causado pela desertificação anual, os fenômenos se tornam cada vez piores. Em março deste ao, por exemplo, uma forte tempestade atingiu Pequim, capital do país, levando a poluição do ar a níveis altíssimos.

Na ocasião, companhias aéreas foram obrigadas a cancelar centenas de voos. Já nesta terça-feira (27), o Observatório Meteorológico de Pequim voltou a alertar à população por causa de areia e poeira na cidade, emitindo sinal de alerta azul.

Visibilidade foi afetada em Pequim nesta terça-feira (27). Imagem: CCTV/Reprodução

O governo da China tenta reflorestar diversas áreas nos arredores dos desertos há décadas. O objetivo é criar um muro que bloqueie a areia e reduza as tempestades, uma “Grande Muralha Verde”. Por causa do plantio, o governo afirmou ano passado que esperava tempestades menores e em pouca quantidade.

Via: UOL / DW