A exposição do coronavírus a uma temperatura pode ser suficiente para neutralizar o vírus da Covid-19 de forma que ele não possa mais infectar outra pessoa e isso em menos de um segundo. A descoberta foi do professor do Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação da Texas A&M University, Arum Han, e seus colaboradores.

Por mais que a aplicação de calor para neutralizar a Covid-19 já foi demonstrada antes, os estudos anteriores as temperaturas foram aplicadas no tempo de um a 20 minutos. Sendo assim, não é uma solução prática, pois aplicar calor por um longo período é difícil e também caro. Han conseguiu que sua equipe desenvolvesse o tratamento térmico por menos de um segundo e inativasse completamente o coronavírus.

publicidade

Portanto, fornece uma possível solução para reduzir a disseminação contínua do vírus. O processo funciona ao aquecer uma seção de um tubo de aço inoxidável, por meio da solução que contém o coronavírus a uma temperatura alta. Depois, a seção é resfriada imediatamente. Este experimento permite que o vírus atravesse o tubo seja aquecido apenas por um período de tempo muito curto. 

Por meio desse rápido processo térmico, a equipe descobriu que o vírus foi completamente neutralizado e seus resultados foram divulgados dentro de dois meses de experimentos de prova de conceito.

Conforme Han, se a solução for aquecida a quase 72°C por cerca de meio segundo, pode reduzir o título do vírus ou a quantidade do vírus na solução, em 100.000 vezes, sendo suficiente para neutralizar o vírus e prevenir a transmissão.

Leia também:

 “Eu estava curioso para saber o quão altas de temperaturas podemos aplicar em quão curto é um período de tempo e para ver se podemos realmente inativar o coronavírus por calor em apenas um tempo muito curto. E, se tal estratégia de neutralização de coronavírus baseada na temperatura trabalhar ou não do ponto de vista prático. O maior motivador foi: Podemos fazer algo que possa atenuar a situação com o coronavírus?”, relatou Han.

Este tratamento térmico não é apenas uma solução mais eficiente para impedir a propagação da Covid-19 pelo ar, como também permite a implementação em sistemas existentes, como de aquecimento, ventilação e ar condicionado .

Para o futuro, os pesquisadores pretendem construir um chip de teste em escala microfluídica que possibilite o tratamento térmico de vírus por períodos de tempo ainda mais curtos.

Fonte: Phys Org

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!