A terceira geração da “Alexa com tela” chegou ao Brasil no mês passado com uma característica bem peculiar. O Echo Show 10, anunciado pela Amazon em setembro de 2020, traz uma potente central de som, tela de boa qualidade e o grande diferencial de “seguir” o usuário pela casa.

A novidade faz com que o corpo do dispositivo seja rotacionado. A ideia é que o conteúdo esteja sempre visível, mesmo quando o usuário se movimenta – seja numa sala ou na cozinha, por exemplo. Com isso, o gadget que dá um pouco mais de “vida” à assistente virtual chega ao país custando R$ 1.899.

publicidade

O valor é salgado, e contamos neste review o que há de tão especial neste alto-falante inteligente com tela integrada.

Design

Logo de cara, ao tirá-lo da caixa, percebemos que o Echo Show 10 é bem robusto. Ele tem formato mais circular na base, pesa cerca de 2,56 kg e está disponível por aqui na cor preta. A estrutura é feita de plástico e o tecido que cobre o hardware passa uma sensação de firmeza e durabilidade. Ele se parece um pouco com um Echo Studio, só que menor e com uma tela.

Visualmente falando, é um dispositivo muito interessante por se encaixar muito bem em diferentes cômodos – como na cozinha, sala, no quarto. E não apenas por causa da tela giratória, embora esse seja o principal atrativo.

Mas, claro, também é preciso posicionar bem o dispositivo. Em alguns cômodos e móveis ele pode ocupar um bom espaço, além de esbarrar em paredes ou outros objetos. Ele precisa de espaço para rotacionar a tela e manter os microfones “livres”. A configuração inicial do dispositivo ajuda com a posição e rotação da tela, que pode ser reajustada sempre que o usuário quiser.

echo show 10 músicas reproduzidas
Amazon Echo Show 10 permite visualizar músicas reproduzidas recentemente pelo usuário. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

A Amazon também destaca que o Echo Show 10 foi produzido com foco no meio ambiente. Dos materiais utilizados, segundo a empresa, 30% são de plásticos reciclados. O tecido dele é composto a partir de 100% de materiais reciclados, assim como o alumínio fundido que também é 100% reciclado.

Já o cabo de energia do alto-falante, o único disponível, se encaixa na parte inferior do dispositivo. Mas, agora, por pura questão estética: seria legal se o carregador e cabo seguissem a cor do dispositivo, que é a preta por aqui. Em alguns mercados, ele também é disponibilizado na cor branca.

amazon echo show 10 de cima
Novo Amazon Echo Show 10 lembra um tablet acoplado a um alto-falante. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

Esse mesmo ponto se repete na trava física que impede a visibilidade da câmera do gadget, que fica na parte superior da tela. Ela é branca, e quando está cumprindo a sua função acaba ganhando certo destaque no visual. É claro que esses pontos não impedem o funcionamento nem do carregamento e nem da câmera.

O Amazon Echo Show 10 ainda traz, além da trava, outros três botões físicos: dois de volume e um para desligar o microfone. Quando ele é apertado, um LED vermelho é ativado no topo do aparelho e uma barrinha laranja é exibida na parte inferior da tela.

Tela

Do Echo Show 8 – que só pode ser rotacionado manualmente com o uso de um acessório extra – para o Show 10, o salto geral é visível. A tela sai das 8 polegadas de tamanho para 10,1″, mas mantém as bordas grandes e a resolução de 1280 x 800 pixels (HD). É um número baixo, mas não atrapalha a nitidez do conteúdo que é lido ou assistido por ela.

Essa nova tela tem um brilho razoavelmente forte e bons ângulos de visão, o que é necessário para um produto desse segmento. As cores também são vibrantes e os ângulos de visão são ótimos. Caso seja necessário, também é possível ajustar, só que manualmente, a posição da tela na vertical. Esse é um ponto que, no futuro, a Amazon pode até trazer para uma nova geração de forma autônoma.

Amazon Echo Show 10.
Usar aplicativos de streaming de música ou vídeo requer o login, assim como uma conta da Amazon para configurar o Echo Show 10. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

Nela, é possível controlar por toques e gestos os aplicativos, Skills da Alexa, serviços de streaming cadastrados; realizar ajustes de sistema, controlar dispositivos inteligentes, assistir filmes ou séries e mais.

Mas também é preciso lembrar que a tela é LCD. Isso significa que a emissão de luz é constante, ainda que seja baixa. Quem for usá-lo no quarto, por exemplo, certamente vai se incomodar com esse ponto. Mas ele é contornável nos ajustes ao desligar a opção de relógio noturno. Ao selecionar essa opção, a tela é realmente desligada enquanto o modo noturno (ou não perturbe) estiver ligado e não atrapalha o sono de ninguém.

“Alexa, pare de me seguir!”

Já o movimento vem ativado por padrão. Ele funciona a partir da câmera e dos microfones, usados para identificar em que lugar o usuário está para rotacionar a tela. O que “gira”, no caso, é o corpo do dispositivo por inteiro, com exceção da base que é fixa e traz o mecanismo. É possível usar comandos como “Alexa, me siga” ou “Alexa, pare de me seguir/desligue o movimento” para ativar ou desativar a função.

O movimento também é muito sutil e praticamente não faz nenhum barulho – em ambientes extremamente silenciosos, às vezes, é possível ouvir um ruído mecânico bem baixo. Esse é o principal recurso do Echo Show 10, mas ainda não é exatamente algo essencial pela falta de compatibilidade com muitos serviços.

O Echo Show 10 também pode ser girado manualmente para a esquerda ou direita. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

Em chamadas de vídeo, por exemplo, a ideia é que a tela siga o usuário caso ele se movimente. Mas as videochamadas só podem ser feitas, por aqui, usando o próprio aplicativo da Alexa para celulares. Como não há compatibilidade com terceiros, essa utilização acaba ficando bastante limitada.

Vale notar que a função de seguir pode ser ajustada apenas para algumas atividades ou para todas, ou quando o usuário ativá-la manualmente (ou por comandos de voz). Também, que o movimento automático pode se confundir se mais de uma pessoa estiver no cômodo. E, se por acaso o ambiente estiver com pouca luz, o recurso é desativado.

Câmera e privacidade

Em tempos onde a privacidade tem sido cada vez mais questionada, a Amazon destaca: “O processamento que aciona o movimento da tela acontece no dispositivo, nenhuma imagem ou vídeo é enviado para a nuvem para fornecer o recurso de movimento”.

A câmera, em si, possui 13 MP de resolução. Ela pode ser usada também como “câmera de segurança”, mas no Brasil apenas tem a capacidade de transmitir a imagem em tempo real. Tanto que há uma função de capturar fotografias, embora esteja desativada.

câmera Amazon Echo Show 10
Câmera do Amazon Echo Show 10 possui 13 MP de resolução. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

Também é possível, como já mencionamos, interromper a visualização da câmera e a captura do som ambiente pelo microfone.

Produtividade ou streaming?

O Echo Show 10 faz absolutamente tudo o que a Alexa é capaz de fazer. Afinal de contas, ele foi projetado para “encorpar” a assistente virtual. Sendo assim, é possível controlar dispositivos inteligentes da casa, trocar as imagens de papel de parede, ouvir as notícias do dia, pedir ajuda com receitas culinárias e muito mais.

O áudio, sua vez, é bem envolvente e possui volume bastante alto. Os graves tendem a ser fortes, o que é ótimo para alguns estilos musicais. Porém, em alguns ritmos mais leves, é possível que a clareza seja um pouco inferior. É, em resumo, um alto-falante poderoso, mas nós recomendamos fazer ajustes no equalizador para equiparar a qualidade sonora com outros dispositivos do mercado – como o próprio Echo Studio, por exemplo. Em termos técnicos, ele possui dois tweeters de 1 polegada e um woofer de 3 polegadas.

YouTube no Amazon Echo Show 10
O Echo Show 10 pode acessar o YouTube pelo navegador, assim como outros sites, mas experiência é limitada. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital

Para músicas, ele é compatível com os serviços Amazon Music, Spotify, Apple Music, Apple Podcasts, Deezer, Tunein e Napster. Para vídeo, funciona com o Prime Video e Netflix – nada de Apple TV+ ou Disney+, ao menos por enquanto. O YouTube, por outro lado, só funciona pelo navegador. Atualmente ele usa o Firefox, mas será substituído pelo Amazon Silk.

Essa é uma parte bem limitadora, considerando que ele poderia ser usado para streaming de canais noticiários, culinários, ou só para entreter as crianças da casa. A experiência de ter que usar um navegador para acessar o YouTube ou outros serviços que não estão disponíveis oficialmente, em resumo, é um tanto frustrante.

Comandos como “Alexa, quero assistir a série ‘The Office'” iniciam a reprodução de onde o usuário parou; é preciso vincular contas de serviços para usá-los. Imagem: Wellington Arruda/Olhar Digital.

Por outro lado, a tela também pode ser um ótimo auxiliar para produtividade. Com o apoio visual, é possível checar calendários e lembretes com mais facilidade; ou então, adicionar timers, fazer buscas visuais com mais facilidade e outros.

Vale a pena?

O Amazon Echo Show 10 é o melhor alto-falante com tela integrada do mercado e, talvez, um dos gadgets mais engenhosos de 2021. Mas, ainda assim, ele é limitado pelo software e pela compatibilidade com aplicativos e serviços populares.

Ele tem um amplo espaço de crescimento, mas isso só o tempo – e as atualizações de software – nos dirá. Como ainda não há compatibilidade com o Zoom, Google Meet, Microsoft Teams e outros – nos EUA, ele funciona com o Skype, Zoom e afins –, essas limitações ainda podem ser contornadas. Bom, ao menos é o que podemos esperar para o futuro.

Para quem precisa de funções mais tradicionais, o Echo Show 8 ainda é mais indicado. Ao optar pelo Echo Show 10, o usuário pode ter uma ótima experiência de áudio e tela maior (e que o segue enquanto ele se movimenta), mas é bom preparar o bolso.