O evento Global Amazon Alexa Skills Challenge 2021, que reúne ideias de negócio baseadas em inteligência artificial para a assistente de voz da Amazon, tem uma nova vencedora: Danielle Vantini, cofundadora da PowerFuel Damas. A brasileira foi responsável por criar a aplicação “Glow Up, Damas”, cujo objetivo é reduzir os casos de violência doméstica contra as mulheres e alcançar a igualdade de gênero.

Em fase beta, o Glow Up, Damas utiliza a inteligência artificial da Alexa para resgatar mulheres vítimas de violência doméstica. A ferramenta é configurada para ser ativada por comandos e repostas codificados. Quando há um caso de ameaça, a aplicação desenvolvida por Vantini liga, de forma silenciosa, para um táxi autônomo gratuito, proporcionando uma fuga rápida para as vítimas.

publicidade

“O Brasil é um país muito machista, onde a cada quatro minutos a polícia registra violência contra as mulheres e a cada nove minutos uma mulher é estuprada. É minha paixão levar essa ideia de negócio mais longe para tornar o mundo mais igual para todas nós mulheres”, disse a cofundadora da PowerFuel Damas.

O projeto de Vantini foi o vencedor do Global Amazon Alexa Skills Challenge 2021 e desbancou ideias de mais de 300 empreendedores e universitários inscritos no evento. Ele foi reconhecido como uma solução tecnológica que usufrui da Amazon Web Services (AWS) para atender a igualdade de gênero, um dos 17 temas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Criadora do Glow Up, Damas, Danielle Vantini foi a vencedora do evento Global Amazon Alexa Skills Challenge 2021. Foto: Divulgação

Embora não tenha sido definida uma data para o lançamento da ferramenta — que ainda está em fase de testes —, é possível que, em breve, o Glow Up, Damas seja disponibilizado como skill para usuários da Alexa e ajude milhares de mulheres espalhadas no mundo todo.

Leia mais:

Violência doméstica cresce na pandemia

O Glow Up, Damas será essencial para combater casos de violência doméstica vivenciados pelas mulheres. Se as ocorrências já eram altas nos últimos anos, os eventos de agressão cresceram durante a quarentena oriunda da pandemia do coronavírus.

De acordo com dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH), o mês de abril do ano passado reportou um aumento de 40% de denúncias envolvendo violência contra as mulheres, comparado ao mesmo período de 2019.

As prisões em flagrante de agressores de mulheres também cresceu 51,4% no início do isolamento, em meados de fevereiro de 2020.

Inclusive, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) promoveu a campanha do “Sinal Vermelho”, na qual mulheres vítimas de violência doméstica podem fazer um “X” vermelho na palma da mão para que farmácias cadastradas e outras instituições acionem a Polícia Militar para prestar socorro.

Quando for lançado, o Glow Up, Damas certamente atuará como um bom suporte para frear os crescentes casos de violência doméstica contra as mulheres.