O Signal revelou que tentou publicar um anúncio no Facebook expondo informações sobre a coleta de dados da plataforma. No entanto, a propaganda foi removida antes de entrar ao ar e o acesso à conta foi bloqueado.

O mensageiro já criticou diversas vezes as grandes empresas de mídia, principalmente o Facebook, responsável também pelo Instagram e o WhatsApp. O Signal diz que a forma como a empresa de Mark Zuckerberg coleta os dados dos usuários é ilegal.

“O Facebook e o Instagram compartilham a mesma plataforma de anúncios para que as empresas possam acessar uma variedade de dados coletados em ambos. Isso inclui detalhes básicos como idade, sexo, localização, mas também informações granulares: marcas que você segue, seu status de relacionamento, atividades recentes e muito mais”, diz o Signal que usou isso para criar anúncios para públicos selecionados.

“Criamos um anúncio direcionado de múltiplas variantes projetado para mostrar a você os dados pessoais que o Facebook coleta sobre você e para os quais vende o acesso. O anúncio simplesmente exibiria algumas das informações coletadas sobre o usuário e que a plataforma de publicidade usa”, explicou o mensageiro.

publicidade

Signal X Facebook

Antes de entrar no ar, no entanto, o Facebook teria barrado o anúncio do Signal e impedido que a propaganda atingisse o público selecionado, segmentado pelas próprias opções da rede social.

Leia mais:

No entanto, o Facebook nega que tenha barrado a conta do Signal e diz que o mensageiro tentar ganhar atenção em cima da rede social. Ao site The Information, a empresa de Mark Zuckerberg informou que “isso é uma manobra do Signal, que nem mesmo tentou lançar esses anúncios — e não banimos sua conta na plataforma por tentar publicá-los”.

“Se o Signal tivesse publicado esses anúncios, parte deles seriam rejeitados porque violam nossas políticas ao revelar condições médicas ou orientação sexual na publicação, coisa que o Signal deveria saber”, finalizou a rede social.