O sistema de pagamento instantâneo do Banco Central do Brasil foi lançado há alguns meses e foi o responsável por colocar o país no ranking das 10 nações que mais realizam transações instantâneas.

A praticidade do PIX cativou: 73% dos brasileiros que possuem um smartphone já criaram uma chave para o novo meio de pagamento. O que muitos não sabem é que, assim como os pagamentos que já existem no mercado, o PIX também se tornou alvo de diversos criminosos que buscam aplicar golpes.

publicidade

De acordo com o Banco Central, os golpes aplicados não possuem relação com falhas de segurança do PIX, são antigos e apenas foram repaginados para acompanhar o avanço da tecnologia presente no sistema de pagamento.

A autoridade monetária brasileira advertiu que os cuidados devem partir dos próprios usuários para evitar que sejam lesados.

PIX
Banco Central nega falha de segurança no PIX. Foto: Brenda Rocha – Blossom / Shutterstock

Pensando em te ajudar a evitar problemas com o PIX, nós do Olhar Digital montamos uma lista com os principais golpes e com dicas para evitá-los. Confira!

Conheça os principais golpes envolvendo o PIX

Central de atendimento

Nesta tática, fraudadores fingem fazer parte de uma instituição financeira em um contato de rotina. É comum que bandidos peçam informações para confirmar o cadastro, quando o verdadeiro intuito é coletar todos os seus dados, a fim de acessar sua conta bancária. Muitas vezes, são criados sites falsos que são encaminhados por SMS ou e-mails.

Dica: para evitar situações como essa, é necessário confirmar que está em contato com a central oficial de sua instituição financeira. Os números dos bancos dificilmente mudam e, em contatos de rotina, não é necessário fornecer dados pessoais – e especialmente tokens ou códigos especiais que são usualmente utilizados para autorizar transações. Vale ressaltar também que senhas jamais devem ser compartilhadas em nenhum contato, seja telefônico ou on-line.

Duplicação de WhatsApp

Neste caso, criminosos duplicam o WhatsApp de alguma vítima e enviam mensagens para diversos contatos pedindo dinheiro por meio do PIX.

Dica: ative a verificação de dois fatores no seus aplicativos de mensagens e nunca compartilhe códigos enviados por SMS. E, caso algum amigo ou familiar te peça dinheiro, confirme as informações bancárias da pessoa. Se possível, ligue para confirmar a autoria da solicitação.

Leia também!

Venda falsa

Este golpe é muito comum nas redes sociais. A vítima se interessa por algum produto e, ao fazer contato com a loja falsa, recebe o PIX como única forma de pagamento. Após concluir a compra, a vítima não recebe o produto e a loja desaparece das redes.

Dica: neste caso, é importante verificar as recomendações da loja. Procure por outros clientes, confirme se o lugar realmente existe e se existem avaliações em plataformas especializadas, como o Reclame Aqui ou o próprio site do Procon-SP que, todos os anos, divulga uma lista com sites de procedência duvidosa. Também fique atento aos dados do destinatário.

Comprovante falso

Esse é para quem costuma comercializar produtos on-line. Normalmente, o golpista se finge de comprador, forja o comprovante de um PIX no valor do produto em questão e envia o comprovante falso. A vítima, ao ver o comprovante, envia o produto, mas nunca recebe o valor na conta.

Dica: antes de entregar o produto que está ofertando, lembre-se de conferir o saldo de sua conta bancária, a fim de confirmar a transferência.

Importante!

Caso você tenha se tornado vítima de qualquer golpe envolvendo o PIX, é importante procurar a polícia para abrir um boletim de ocorrência sobre a fraude.

Também é possível buscar atendimento no serviço de atendimento ao consumidor (SAC) das instituições financeiras envolvidas, além do Procon – órgão responsável pelo atendimento ao consumidor -, para buscar o ressarcimento do valor perdido.

Via: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!