A Xiaomi superou a Apple na Europa, assumindo o segundo lugar no ranking de fabricantes de smartphones no velho continente, segundo levantamento feito pela firma de pesquisa Canalys.

Pelos números divulgados em relação ao desempenho das empresas no primeiro trimestre de 2021 (Q1 2021), a Xiaomi agora detém 23% do mercado europeu, contra 19% da Apple. A líder ainda é a Samsung, com seus 35%. Em quarto e quinto lugares temos a Oppo (4%) e a Huawei (3%).

publicidade

Leia mais

Levantamento da Canalys mostra que crescimento da Xiaomi no mercado europeu ameaça posição da Apple no setor. Imagem: Canalys/Reprodução

Outras informações referem-se ao crescimento das empresas ano a ano (YoY): na Europa, a Xiaomi vem aumentando seu tamanho em 85%, versus 22% da “maçã”. O crescimento da chinesa é o segundo maior das cinco empresas mencionadas, sendo superada apenas pela Oppo (153%), mas ficando à frente da Samsung (21%) e da Huawei (que encolheu 81%).

É importante ressaltar, porém, que Xiaomi e Apple não possuem uma concorrência muito direta no mercado europeu: a primeira – relativamente nova no continente – manteve-se firme nas ofertas de smartphones de entrada e intermediários com bom desempenho (consequentemente, bem mais baratos), enquanto a segunda – que já atua na região há décadas – seguiu com suas ofertas para o público premium.

Entretanto, isso vem mudando aos poucos, com a chegada de smartphones topo de linha da Xiaomi em regiões essenciais como o Reino Unido. Nos próximos anos, é provável que a concorrência seja mais direta, o que deve se refletir nos números.

De qualquer forma, a informação ressalta uma vitória da Xiaomi sobre a Apple: no mercado global, a empresa de Cupertino ainda é a segunda maior do mundo, mas a gigante chinesa, em terceiro lugar, vem diminuindo essa diferença a passos largos.

Embora a Apple ainda esteja à frente da Xiaomi no lado ocidental da Europa, a diferença vem diminuindo consideravelmente. Imagem: Canalys/Reprodução

Quando a Canalys segmentou ainda mais a sua pesquisa, limitando análises à parte ocidental da Europa, a situação mudou um pouco: a Apple apresentou uma fatia maior de mercado (25%) que a Xiaomi (17%).

Entretanto, a empresa de pesquisa de mercado ressalta que os números da Apple mostram uma queda, enquanto os da Xiaomi trazem estabilidade. Duas conclusões podem ser tiradas aqui: a primeira é a de que o lado asiático do mundo ainda é responsável pelo crescimento da Xiaomi, e a segunda é a de que a Apple está aos poucos perdendo terreno em mercados considerados essenciais.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!