A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta segunda-feira (24) a criação de um depósito mundial de patógenos, na Suíça, para armazenar possíveis causadores de epidemias, como o vírus que provocou a Covid-19. A ideia é melhorar a infraestrutura para o estudo dessas doenças e evitar novos surtos.

Com o depósito vai ser possível trocar amostrar com laboratórios do mundo inteiro de forma mais eficiente e fazer um estudo mais rápido dessas patologias. Hoje, esse processo geralmente é feito de forma bilateral entre os pesquisadores, o que pode deixar alguns locais sem material para estudo.

publicidade

Depósito de patógenos da OMS

“A pandemia de Covid-19 e outros surtos e epidemias demonstraram a importância de compartilhar rapidamente os patógenos para ajudar a comunidade científica mundial a avaliar os risco e desenvolver diagnósticos, terapias e vacinas”, explicou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, no comunicado.

Leia mais!

O depósito de patógenos é feito em parceria com a Suíça, país onde a OMS é sediada. O anúncio foi feito durante a 74ª Assembleia Mundial da Saúde, que ocorre de forma virtual por conta da pandemia.

O projeto deve começar a funcionar em 2022. O depósito possui proteção contra ameaças, perigos biológicos, químicos e atômicos, para evitar algum possível vazamento. O governo suíço informou que a iniciativa vai criar “um sistema internacional voltado para o intercâmbio voluntário de novos organismos patogênicos”.

Na fase de testes, o vírus da Covid-19 deve ser usado para verificar a segurança do sistema operacional para transportar as cepas da doença. Após o fim dos primeiros resultados, amostras de outros patógenos devem começar a ser armazenadas pela OMS.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!