Duas investigações foram abertas contra o Google pelo órgão antitruste da Alemanha em razão de um possível mau uso dos dados. Estão na mira da Justiça o Google Germany, Ireland e a controladora Alphabet.

Segundo a agência de notícias Reuters, o Bundeskartellamt, como é chamado o Escritório Federal de Cartel do país, investiga se o Google está oferecendo opções suficientes aos usuários sobre como a empresa irá utilizar os dados em relação aos serviços digitais fornecidos.

publicidade

O objetivo do Bundeskartellamt é verificar se os dados dos usuários estão sendo usados como meio de competição para o Google se destacar em relação à concorrência.  

A agência antitruste investigará como os dados dos usuários são utilizados pelo Google na Alemanha. Imagem: Nitpicker / shutterstock

Em comunicado, o chefe do Bundeskartellamt, Andreas Mundt, disse que o Google tem um modelo de negócio que se baseia no processamento de dados dos seus usuários. “Vamos analisar com atenção os termos em que os dados são processados. Precisamos saber se os usuários têm escolha suficiente em relação ao uso dos seus dados captados pelo Google”, afirmou. 

Em sua defesa, o Google informou que os usuários buscam o serviços porque são necessários e úteis, sem nenhuma imposição ou falta de concorrência. 

De acordo com o porta-voz do Google, Ralf Bremer, as pessoas têm controle sobre como as informações podem ser utilizadas. “E limitamos o uso de informações pessoais”, disse ao afirmar que a empresa contribuirá com as investigações.

Leia mais:

Google na mira da lei 

Com sede em Bonn, o Bundeskartellamt vem investigando vários casos de possível uso incorreto dos dados, principalmente no que diz respeito ao descumprimento das leis de concorrência da Alemanha, englobando ainda Facebook e Amazon.

Inclusive, já existem restrições ao processamento de dados do Facebook em um processo de 2019, abrindo uma batalha judicial que já chegou ao Tribunal de Justiça Europeu.

Neste caso mais recente envolvendo o Google, a agência antitruste investigará como os dados são utilizados após acessos aos inúmeros serviços digitais que a empresa fornece, tais como buscas, YouTube, Google Maps, navegador Chrome e o sistema operacional para smartphone Android.