O Eclipse Total da Lua agitou a manhã desta quarta feira (26). Os poucos habitantes das ilhas da Polinésia, Micronésia, Hawaii, Nova Zelândia e Austrália, tiveram o privilégio de acompanhar todas as fases do eclipse. Do Brasil, apenas algumas localidades puderam contemplar a fase parcial, mas ainda assim, geraram imagens impressionantes. 

Esse foi provavelmente o Eclipse Lunar menos visto dos últimos tempos, já que a área de visibilidade dele foi, justamente, a metade menos habitada do planeta. Uma prova disso é que normalmente, após uma noite de eclipse, as redes sociais são inundadas com imagens do fenômeno, registrado de diversas partes do mundo. Mas dessa vez, isso não aconteceu.

publicidade
Hemisfério da Terra com melhor visibilidade para o eclipse – Fonte: Wikimedia

As melhores imagens deste eclipse vem dos observatórios astronômicos do Oeste dos Estados Unidos e do Hawaii. As transmissões ao vivo desses observatórios bombaram durante a manhã e foram assistidas por milhões de pessoas ao redor do mundo. 

Eclipse Total da Lua na Califórnia, EUA. Imagem: Griffith Observatory

Aqui do Brasil, não presenciamos esse espetáculo por completo, mas ainda assim tivemos imagens espetaculares do início da fase parcial no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. De Rondônia, o tempo não colaborou, mas ainda foi possível ver o momento em que a Lua começou a entrar na sombra da Terra. E foi do Acre, onde a Lua chegou a ficar mais de 80% encoberta, de onde vieram as melhores imagens aqui do Brasil. Confiram a galeria:

As cores da Lua

Na máxima do Eclipse, que durou apenas 14 minutos, a Lua assumiu uma coloração avermelhada, algo que ocorre devido a Dispersão de Rayleigh que espalha a componente azul da luz branca do Sol quando essa passa pela atmosfera da Terra. A luz vermelha que não é dispersada, chega até a superfície eclipsada da Lua, dando a ela essa coloração característica de um eclipse. 

A componente azul da luz branca do Sol é espalhada pela Dispersão de Rayleigh quando atravessa a atmosfera da Terra, tornando o céu azul e a Lua vermelha durante um eclipse lunar – Gráfico: Marcelo Zurita

Já nas imagens feitas no Brasil, o tom alaranjado da Lua não tem a ver com o eclipse. Isso ocorre sempre que a Lua está próxima ao horizonte, mas é provocado pelo menos fenômeno: a Dispersão de Rayleigh. Entretanto, nesse caso, não é a Lua que está sendo “pintada” pela luz avermelhada. Quando ela está próxima ao horizonte, a luz branca do Sol atinge diretamente a Lua e é refletida na direção da Terra. Quando atravessa a atmosfera, a componente azul da luz é espalhada pela Dispersão de Rayleigh e chega alaranjada até o observador aqui na Terra. 

A luz branca atinge diretamente a superfície da Lua e é refletida em direção à Terra. Quando atinge a atmosfera, a componente azul da luz é espalhada pela Dispersão de Rayleigh e chega alaranjada até o observador – Gráfico: Marcelo Zurita

Leia mais:

eclipse lua
Rio Branco (AC). Imagem: Assis Lima

Próximo eclipse da Lua

O próximo Eclipse Lunar ocorrerá entre 18 e 19 de novembro e será mais generoso com os brasileiros. Será um eclipse parcial, mas a Lua ficará até 97% encoberta pela sombra da Terra e poderá ser vista de todo o Brasil. Esse vai valer a pena esperar para ver!

eclipse lua
Rio Branco (AC). Imagem: Assis Lima

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!