A atual expectativa de vida no Brasil é de 75 anos. Mas, imagine só viver o dobro de tempo! Um grupo de pesquisadores de Singapura afirma ter descoberto a expectativa de vida máxima dos seres humanos. Com a saúde em perfeito estado, pessoas podem viver entre 120 e 150 anos.

Mas, para ter até 15 dezenas de velinhas no bolo de aniversário, é preciso um pouco de sorte. Para chegar à longeva idade, a pessoa não pode ter passado por doenças cardíacas ou câncer. Os 150 anos estimados pelos cientistas são calculados de acordo com o processo natural de envelhecimento.

publicidade

Leia mais:

O grupo que realizou a pesquisa integra a empresa Gero, sediada em Singapura. Eles examinaram o ritmo de envelhecimento de pessoas residentes nos Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. O estudo dos cientistas foi publicado na revista científica Nature Communications, na última terça-feira (25).

Ao observar passos dados ou mudança na contagem de células sanguíneas, a medida em que a idade aumenta, o corpo diminuí esses números a uma taxa previsível. Assim, entre os 120 e 150 anos, a resiliência natural do corpo falha totalmente e leva o indivíduo à morte.

Expectativa de vida de idosos
Cientistas destacam que qualidade de vida é mais importante que longevidade. Imagem: Jaddy Liu/Unsplash

Mesmo conseguindo chegar ao número, os cientistas apontam uma questão ainda mais importante do que a longevidade. Os especialistas argumentam que, ao invés de perguntar por quanto tempo uma pessoa pode viver, é preciso pensar por quanto tempo é possível levar uma vida saudável.

“Outras coisas, como qualidade de vida, começam a ter cada vez mais importância à medida que as pessoas vivenciam sua perda”, disse Heather Whitson, diretora do Centro para o Estudo do Envelhecimento e Desenvolvimento Humano da Duke University, em entrevista ao site Scientific American.

Enquanto 150 anos é apenas uma expectativa máxima de vida para seres humanos, a pessoa mais velha de que se tem registro foi a francesa Jeanne Calment. Ela nasceu em 1875 e morreu em 1997, aos 122 anos de idade. Já a pessoa mais velha viva é a japonesa Kane Tanaka, de 118 anos, nascida em 1903.

Só que, sem comprovação oficial, quem está bem perto de atingir os 150 anos de idade é a brasileira Maria Lucimar Pereira. Indígena do estado do Acre, ela tem uma certidão de nascimento que registra seu nascimento no dia 3 de setembro de 1890. Lúcida, representantes da Funai contaram, ao G1, que a indígena de 130 anos diz que o segredo é a alimentação natural.

Via: Futurism

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!