A Chevrolet se manteve na liderança de carros mais vendidos no Brasil durante seis anos consecutivos com o seu modelo Onix. No entanto, o reinado do veículo está ameaçado devido à crise dos semicondutores que fez a montadora parar a fabricação do carro em março de 2021.

De acordo com a General Motors, o Onix e o Onix Plus possuem mais que o dobro de microchips quando comparado aos concorrentes da mesma categoria, motivo que explica a falta dos veículos nas concessionárias de todo o Brasil.

publicidade
Fábrica da GM em Gravataí, Rio Grande Sul
Produção do Onix na fábrica de Gravataí (RS) está paralisada há 2 meses. Imagem: Reprodução/GM

“Não vamos deixar de oferecer aquilo que nossos clientes mais valorizam em um automóvel nem focar em versões básicas em razão da escassez momentânea de suprimentos, mesmo que isso impacte temporariamente nossa produção”, disse Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul, ao afirmar que a companhia pode simplificar seus produtos devido à crise no mercado de tecnologia automotiva.

Em maio, o Onix teve apenas 3.820 unidades emplacadas no Brasil, alçando a 12° colocação do ranking. Enquanto a Fiat ocupou os três primeiros lugares com os modelos Argo, Strada e Mobi, respectivamente.

Ao ser procurada pelo UOL para comentar sobre a falta de semicondutores, a fabricante italiana que vem se destacando no mercado brasileiro preferiu não comentar o caso, mas afirmou que não interrompeu a produção de seus veículos em Betim (MG) em nenhum momento.

Leia também!

“A Fiat concedeu férias por dez dias em duas oportunidades para pequenos contingentes de trabalhadores, suspendendo a produção em um turno de uma linha em cada ocasião”, relatou a empresa.

Flavio Padovan, sócio da consultoria MRD Consulting, afirmou que a falta de chips não explica a pausa de dois meses na produção do Onix em Gravataí, no Rio Grande do Sul.

Via: UOL

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!