Quem costuma fazer exercícios físicos entende bem como às vezes o uso de um smartwatch no pulso pode incomodar durante algumas atividades. Esse incômodo pode deixar de existir graças a uma criação da Samsung: uma tela OLED que é basicamente um adesivo de pele e funciona como rastreador fitness.

O display flexível foi criado por pesquisadores do Samsung Advanced Institute of Technology (SAIT). O OLED extensível pode ser preso ao pulso para oferecer as informações sobre o condicionamento físico dos usuários. A tela está integrada a um sensor de frequência cardíaca PPG.

publicidade

Leia mais:

Os desenvolvedores testaram o dispositivo na região interna do pulso, próximo à artéria radial. Nessa parte do braço, eles conseguiram confirmar que o movimento do pulso não deteriora a tela. O OLED, no teste, continuou confiável mesmo com alongamento da pele em até 30%.

O display também segue funcionando de maneira estável mesmo depois de ser esticado mil vezes. Além dos exercícios físicos, o adesivo pode ser usado para medir dados biométricos durante o sono e não há necessidade de conectar a outro dispositivo para ver as informações.

O dispositivo foi testado na região interna do pulso. Imagens: Samsung/Divulgação

Para chegar a essa tela OLED, a equipe de pesquisadores da Samsung modificou a composição e estrutura do elastômero, composto de polímero, e usou processos de fabricação de semicondutores já existentes. Isso foi aplicado aos substratos de telas OLED extensíveis e sensores ópticos de fluxo sanguíneo.

A companhia sul-coreana afirma que essa tecnologia é a primeira da indústria. “A tecnologia também pode ser expandida para uso em produtos de saúde, vestíveis para adultos, crianças e bebês, bem como pacientes com certas doenças”, explicou Youngjun Yun, pesquisador principal do projeto.

A Samsung planeja comercializar a tecnologia nos futuros vestíveis, os wearables, da companhia. Mas, como a pesquisa ainda está em estágios iniciais, os desenvolvedores afirmam que a tecnologia só será comercializada quando a tela tiver uma resolução maior, mais elasticidade e precisão da medição a um nível com possibilidade de produção em massa.

Via: Android Authority

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!