Um grupo de pesquisadores da Curtin University descobriu que a ingestão de minúsculas cápsulas de cannabis é mais bem absorvida pelo corpo e pode ajudar a tratar doenças neurológicas, como Alzheimer, esclerose múltipla e lesões cerebrais traumáticas. O estudo foi publicado na revista Plus One e está sendo financiado pela Zelira Therapeutics.

De acordo com o Medical Xpress, os testes foram feitos em camundongos que possuíam distúrbios e que receberam as doses na forma líquida e em mini cápsulas. Os pequenos comprimidos foram criados pela equipe com o intuito de ajudar na entrega do canabidiol ao organismo, que devido ao ácido do estômago dificulta a absorção quando administrado via oral.

publicidade

“O canabidiol é encontrado na cannabis medicinal e é um remédio natural popular para pessoas que vivem com doenças neurológicas e metabólicas. Devido às limitações de absorção, nosso objetivo foi projetar e testar um novo método de entrega de drogas”, disse o pesquisador principal do estudo, professor Associado do Curtin Health Innovation Research Institute (CHIRI) e da Escola de Saúde da População da Curtin University, Ryu Takechi.

Mini cápsulas de cannabis podem ajudar a tratar doenças neurológicas. imagem: Shutterstock
Mini cápsulas de cannabis podem ajudar a tratar doenças neurológicas. imagem: Shutterstock

“Nossa equipe foi capaz de melhorar significativamente a absorção e entrega cerebral de canabidiol, administrando-o em uma nova forma de microcápsula, em combinação com um ácido biliar de ocorrência natural. Com esta nova forma encapsulada, fomos capazes de melhorar a distribuição de canabidiol pelo cérebro em 40 vezes em modelos animais e também protegemos a droga da oxidação e degradação pela luz, o que ajuda a estender a vida útil do produto”, explicou o pesquisador.

Assim, segundo o professor, as descobertas vão ajudar no apoio do uso clínico da cannabis medicinal no tratamento de distúrbios neurológicos.

“Neste estudo, fomos capazes de mostrar pela primeira vez que um ácido biliar realmente aumentou a absorção e retenção de canabidiol dentro do cérebro. Isso mostra que os ácidos biliares podem ser usados ​​para aumentar a entrega de canabidiol quando tomado por via oral, particularmente no tratamento de distúrbios neurológicos “, disse Takechi, ressaltando que mais estudos serão necessários até o uso em humanos, mas que os resultados atuais já trazem uma boa perspectiva.

Leia mais!

Para o CEO da Zelira Therapeutics, Dr. Oludare Odumosu, o projeto não só irá ajudar no tratamento, como irá reduzir custos e garantir segurança aos pacientes.

“A nova tecnologia de encapsulamento parece melhorar significativamente a eficiência com a qual os medicamentos à base de canabinoides podem ser administrados ao cérebro. Isso poderia levar a melhorias na eficácia das terapias com canabinoides para tratar distúrbios neurológicos, reduzindo custos e aumentando a segurança”, afirmou o executivo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!