A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o governo da Guiné, na África Ocidental, declararam no último sábado (19) que está controlada a segunda epidemia de Ebola no país, que já havia sofrido com o vírus entre 2014 e 2016. 12 pessoas morreram com o novo surto.

“Eu tenho a honra de declarar o fim [da epidemia] do ebola”, disse um funcionário da OMS, Alfred Ki-Zerbo, durante uma cerimônia em Nzérékoré. A cidade foi o local onde a doença havia reaparecido, no fim de janeiro. Após isso, foi decretado o começo de uma nova epidemia, que conseguiu ser controlada em poucos meses.

publicidade

Epidemia de Ebola

De acordo com a declaração, o baixo número de vítimas fatais ocorreu por conta da experiência do governo em lidar com o Ebola na última epidemia, entre 2014 e 2016. Nesse período, o mais letal desde que o vírus foi descoberto em 1976, mais de 2,5 mil pessoas morrera no país. No total, foram mais de 11 mil óbitos em toda a África Ocidental.

Leia mais:

A OMS explica que, para decretar o fim de uma epidemia de Ebola, é preciso que o local fique durante 42 dias sem registrar novos casos. O tempo corresponde a dois períodos de incubação do vírus que causa a doença.

A organização também explicou que o novo surto provavelmente foi causado por uma infecção adormecida na população desde a última epidemia e não por uma recontaminação da doença pulando de um animal para os humanos novamente.

O Ebola causa uma forte febre hemorragia com uma letalidade alta. Uma vacina contra a doença está sendo desenvolvida e está sendo aplicada em países da África. Em Guiné, cerca de 11 mil pessoas já foram imunizadas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!