Um estudo publicado no jornal científico Earth-Science Reviews indica que a civilização humana “nasceu” graças ao impacto de pedaços de um cometa, ocorrido há mais ou menos 13 mil anos, em uma região que, hoje, corresponde a partes do Oriente Médio, América do Norte e Groenlândia.

De acordo com o paper publicado, pedaços se desprenderam desse cometa, atingindo a Terra e, com o impacto, gerando uma espécie de “mini era do gelo” que durou cerca de mil anos. Por causa dessa mudança súbita de clima, animais acabaram morrendo, forçando os humanos da época a mudarem da subsistência de caça para o desenvolvimento da agricultura.

Leia também

Imagem mostra um homem segurando uma porção de tomates em um campo de colheita, simbolizando a agricultura.

Novo estudo indica que ela foi inventada após um cometa se chocar com a Terra e forçar mudanças na civilização humana
A invenção da agricultura foi um ponto importante da humanidade, que até então vivia da caça e da pesca, mas um estudo indica que a mudança foi forçada pelo impacto de um cometa. Imagem: mongione/Shutterstock

Martin Sweatman, pesquisador da Universidade de Edimburgo e único autor do material, analisou vários locais de impacto espalhados pelo mundo, constatando que, em vários deles, traços de platina e nanodiamantes – ambos associados a cometas – foram encontrados.

publicidade

O autor ainda afirma que pelo menos uma civilização antiga chegou a idolatrar o ponto de impacto dos fragmentos do cometa, atribuindo ao estudo também um caso de mudança cultural – por exemplo: os cultuadores enxergaram na pedra espacial um sinal de mudança de hábitos, tendo agido de acordo por uma questão de , além das mudanças impostas pela era de frio.

“Essa grande catástrofe parece ter sido eternizada em gravações nos pilares de pedra gigantes de Göbekli Tepe [Turquia], possivelmente o ‘primeiro templo’ do mundo, que é ligado à origem da civilização moderna pelo Crescente Fértil no sudoeste asiático” disse Sweatman.

“Crescente Fértil” é o nome dado à região que compreende a Palestina, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano e Chipre. Altamente irrigada pelos rios Jordão, Tigre, Eufrates e Nilo, a área é, hoje, povoada por cerca de 50 milhões de pessoas. Historicamente, é atribuída à ela a mudança de paradigma da humanidade: nela, o homem desenvolveu a agricultura, efetivamente deixando de ser um caçador nômade para viver do plantio e colheita e estabelecendo moradia fixa.

Com o estudo adicionando um cometa à equação, agora nós podemos ter uma resposta do “porque” essa mudança na civilização humana.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!