Na noite desta sexta-feira (2), um incêndio provocou uma das cenas que pode entrar para o ranking das mais intrigantes já registradas pela internet: o oceano estava em chamas.

A causa foi o vazamento de gás de uma tubulação subaquática de uma das plataformas de petróleo da estatal Pemex, que fica localizada no meio do Golfo do México, na península de Yucatan.

publicidade

O incêndio levou mais de cinco horas para ser controlado e, segundo informações da própria empresa, não houve feridos.

Em comunicado, a companhia responsável pela plataforma informa também que irá iniciar uma investigação para determinar a raiz do vazamento:

“As válvulas de interligação do gasoduto foram fechadas, extinguindo o incêndio e a liberação de gás, encerrando o contingenciamento por volta das 10h45 e restaurando as condições normais de operação. Não houve relatos de feridos ou evacuados. A Petróleos Mexicanos fará uma análise da causa-raiz do incidente.”

Durante o vazamento, que ocorreu na principal plataforma de extração de petróleo da Pemex, chamas laranjas incandescentes puderam ser vistas no meio do oceano, o que dava a aparência de lava derretida às chamas.

Veja também!

Nas redes sociais, o caso foi apelidado de “olho de fogo”, por conta da forma circular do incêndio dentro do mar.

Repercussão

O Greenpeace no México se pronunciou após o incidente, salientando para os riscos que plataformas de petróleo – e a falta de manutenção das mesmas -, podem apresentar à vida marinha.

“O acidente produzido na Sonda de Campeche demonstra os graves riscos do modelo de combustíveis fósseis no México e o que [ele] implica tanto para o meio ambiente como para a segurança das pessoas”, disse a organização, em seu perfil no Twitter.

Em nota publicada no site, o Greenpeace também reafirma que “embora a Petróleos Mexicanos tenha informado que o incidente está sob controle” e que “felizmente não houve feridos […] é fato que as instalações de petróleo em qualquer parte do mundo envolvem riscos de acidentes graves com consequências ambientais em grande escala, como neste caso.”

Os vídeos que viralizaram na internet também chamaram atenção de políticos, como a Senadora de Nova York, Alessandra Biaggi, que se manifestou sobre o caso, afirmando que “quando não fazemos tudo ao nosso alcance para enfrentar a crise climática, não levamos a crise climática a sério. Se não estava claro para todos, agora será: não temos mais desculpas.”