O governo do estado de São Paulo anunciou um novo ciclo de imunização para janeiro do ano que vem, que vacinar novamente quem já tomou as duas doses em 2021. No entanto, segundo o Ministério da Saúde, ainda “não há evidências científicas” da necessidade de vacinação anual.

O Ministério da Saúde informou ao UOL que recomenda que os estados sigam o Plano Nacional de Imunizações (PNI) que ainda não prevê uma vacinação anual. O secretário de saúde de São Paulo, Jean Gorincheteyn disse que podem ser necessárias campanhas anuais, com ocorre com a gripe.

publicidade

Vacinação anual contra a Covid-19

“O Ministério da Saúde informa que, até o momento, não há evidência científica que confirme a necessidade de doses adicionais das vacinas covid-19”, disse a pasta. “A recomendação é que estados e municípios sigam o que é definido pela Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis, que é pactuada entre União e gestores estaduais e municipais, e pelo PNO”, completou ainda.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também disse que ainda são necessários mais estudos antes de definir a necessidade de uma vacinação anual contra a Covid-19. O órgão também diz que a possível necessidade de uma terceira dose de reforço ainda não está definida.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária liberou estudos para investigar a necessidade de uma terceira dose da AstraZeneca, mas os resultados ainda não foram publicados.

Já o Instituto Butantan e o governo paulista descartam uma dose de reforço da CoronaVac, mas estudam a possibilidade da vacinação anual contra a Covid-19.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!