Há apenas uma semana, a GM aconselhou os donos de carros do modelo Chevrolet Bolt a não carregarem os veículos durante a noite ou deixarem estacionados dentro de casa. Agora, a montadora tem mais uma dor de cabeça com o automóvel dos anos de 2017 a 2019 nos Estados Unidos. A GM convoca novo recall do carro elétrico por risco de incêndio.

Dessa vez, felizmente, a companhia diz que descobriu a causa do fogo nos veículos. Acontece que há um defeito na bateria dos Chevrolet Bolt de modelos daqueles três anos. Trabalhando com a LG Chem, fornecedora das baterias, a GM descobriu que algumas das células que compõem a peça podem ter até dois defeitos simultâneos de fabricação.

publicidade

Leia mais:

A GM, porém, não informou especificamente quais são esses defeitos. Apenas alertou que, quando presentes, eles podem causar um incêndio. A montadora ainda está preparando o novo recall e avisa aos proprietários do veículo para tomarem diversas precauções até que verifique e conserte todos os veículos.

Como votar no Olhar Digital no segundo turno do Prêmio Influency.me

Recentemente, dois Chevrolet Bolt pegaram fogo, mesmo depois de supostamente receberem uma correção de software no recall anterior, anunciado pela primeira vez em 2020, no mês de novembro. Foi quando a GM fez os alertas sobre o carregamento noturno e as garagens internas.

Foram notificados incêndios em carros do modelo Chevrolet Bolt, dos anos de 2017 a 2019. Imagem: Divulgação/Chevrolet

Depois de descobrir o problema, a empresa pede que os motoristas evitem carregar os carros mais do que 90% da capacidade, ou deixar que caiam para um alcance de menos de 110 quilômetros, cerca de 27% da bateria. Assim, os proprietários só poderão usar cerca de 60% da capacidade total até que aconteça o conserto. Outra dica da GM é carregar os veículos após cada uso.

Os técnicos da companhia vão inspecionar as baterias e substituir quaisquer módulos que contenham células problemáticas. Os automóveis elétricos Chevrolet Bolt que devem ser chamados para o recall somam quase 51 mil unidades.

Via: The Verge / CNet

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!