Em um momento da história em que há um aumento significativo no número de câmeras apontadas para o céu registrando a passagem de meteoros, e que se encontram cada vez mais meteoritos aqui na Terra, uma pergunta tem se tornado frequente: qual o risco de uma pessoa morrer atingida por um meteorito?

É importante lembrar que um meteorito é um fragmento de rocha espacial que resistiu à passagem pela atmosfera, onde gerou um fenômeno luminoso chamado de meteoro. Essas rochas espaciais atingem nosso planeta o tempo todo, mas só as maiores são capazes de resistir ao calor da passagem atmosférica e chegar ao solo. E são justamente essas que podem atingir uma pessoa.

publicidade

Mas não vá se animando porque as chances disso acontecer são mínimas!

Super bólido registrado em 2020 em Turvo, SC
Super bólido registrado em 2020 em Turvo, SC. Créditos: Netvale Internet/climaaovivo.com.br

No ano passado, um grande meteoro explodiu sobre Santa Filomena, em Pernambuco. Uma chuva de meteoritos caiu sobre a cidade e atravessou alguns telhados, mas felizmente, não chegou a atingir nenhuma pessoa.

Em 2013, no município de Parauapebas, no Pará, um meteorito atravessou o telhado da casa de Dona Maria das Neves Silva Lima. Ela afirma que o meteorito lhe atingiu e feriu seu ombro, mas como o caso só foi informado 5 anos depois, não houve como comprovar a história. Para a sorte da Dona Maria das Neves, o meteorito tinha apenas uns 100 gramas, e geralmente, quando ele chega ao solo, já teve grande parte de sua velocidade reduzida pela atmosfera, principalmente os mais leves.

Leia mais:

Menos sorte teve a norte-americana Ann Hodges, que em 1954 foi atingida por um meteorito de 4 quilos. A rocha espacial quebrou o teto de sua casa enquanto ela cochilava em sua cama, resvalou em um rádio e atingiu em cheio o quadril de Hodges, o que lhe rendeu um hematoma não muito bonito. Este foi, até pouco tempo atrás, o único caso documentado de uma pessoa atingida por um meteorito.

Ann Hodges foi atingida no quadril por um meteorito de 4 kg, lhe causando um grande hematoma
Ann Hodges foi atingida no quadril por um meteorito de 4 kg, lhe causando um grande hematoma. Foto: University of Alabama Museums

Mas um trabalho publicado no ano passado resgatou um caso de 1888 ocorrido em Suleiman, no Iraque. Duas pessoas teriam sido atingidas por meteoritos 10 minutos após um grande meteoro explodir sobre a região. Uma delas teria morrido e a outra, ficado paralítica.

Essa história foi resgatada em documentos antigos encontrados na Turquia, da época do Império Otomano, que incluía também o Iraque. O fato teria ficado oculto por tanto tempo porque tais documentos eram manuscritos no idioma Turco-Otomano, uma língua que já morreu, assim como o Império Otomano e as vítimas do meteorito.

Visão de Suleiman, onde hoje fica o Iraque, na época do incidente
Visão de Suleiman, onde hoje fica o Iraque, na época do incidente

Não há como comprovar essa história, mas como os relatos foram escritos por altas autoridades locais e enviados ao Sultão da época, os pesquisadores não veem motivo para desconfiar. Mas mesmo considerando esse caso, ainda seria apenas uma morte causada por meteoritos em mais de 100 anos.

Alguns leitores mais atentos, podem se lembrar de um caso ocorrido em 2009 em que um meteorito do tamanho de uma ervilha a 48 mil km/h teria ferido um garoto de 14 anos e causado uma pequena cratera de 30 centímetros na Alemanha. A história, pra lá de estranha, ganhou o mundo e foi noticiada por alguns dos principais veículos de comunicação do planeta.

Mas aparentemente, não passou de uma grande mentira contada pelo garoto. Só seria possível que um meteorito desse tamanho chegasse à superfície da Terra nessa velocidade se retirássemos toda nossa atmosfera. Logo, a pequena pedra jamais poderia ter ferido o jovem e, muito menos, gerado uma cratera. Mas serviu para dar uns 15 minutos de fama (ou talvez um pouco mais) ao criativo garoto.

Alemão de 14 anos teria sido atingido por um meteorito do tamanho de uma ervilha (em sua mão direita), o que teria lhe causado o ferimento, semelhante a uma queimadura em sua mão esquerda
Alemão de 14 anos teria sido atingido por um meteorito do tamanho de uma ervilha (em sua mão direita), o que teria lhe causado o ferimento, semelhante a uma queimadura em sua mão esquerda. Imagem: Reprodução/The Mirror

Em 2016, outra notícia correu o mundo informando que um indiano teria sido morto em uma explosão que, segundo as autoridades, teria sido causada pela queda de um meteorito. Entretanto, a única coisa comprovada nessa história é que as autoridades indianas não entendem muito de meteoritos. No final, a explosão que matou o homem foi causada por um… explosivo.

Fica claro que morrer atingido por um meteorito é algo bastante improvável.

Em 1814, um acidente numa cervejaria de Londres inundou a cidade com 1 milhão e meio de litros de cerveja, destruindo várias casas e matando 18 pessoas, num episódio que ficou conhecido como “O Dilúvio de Cerveja de Londres”. E o que isso tem a ver? É que isso prova, estatisticamente, que é mais fácil morrer afogado num dilúvio de cerveja do que atingido por um meteorito.

Área atingida pelo Dilúvio de Cerveja de Londres
Área atingida pelo Dilúvio de Cerveja de Londres. Fonte: thedrinksbusiness.com

Ainda é provavelmente mais fácil uma pessoa morrer atingida por dois raios ou por um gato voador. Então, não há motivo para se preocupar com os meteoritos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Confira a coluna de Marcelo Zurita no Olhar Digital News: