A fabricante de aviões brasileira Embraer divulgou novas imagens e deu detalhes sobre sua mais nova aeronave nesta sexta-feira (13). O modelo é um turbo-hélice que será voltado para a aviação regional, e entre as principais novidades anunciadas estão a posição dos motores do avião, que serão instalados na cauda da aeronave, e a possibilidade de abastecimento com hidrogênio.

O novo turbo-hélice da Embraer deverá comportar entre 50 e 90 passageiros, sem contar a tripulação, e, com o crescimento do setor de aviação regional, é uma das principais apostas da fabricante brasileira para o futuro. A Embraer ainda não divulgou uma data oficial para o lançamento do avião, e além disso, não informou se as imagens apresentadas são conceituais ou finais.

publicidade
Visão frontal do novo avião da Embraer
Novo avião da Embraer terá os motores posicionados na cauda da aeronave. Crédito: Embraer/Divulgação

A intenção da Embraer é substituir as aeronaves usadas atualmente na aviação regional, que são modelos turbo-hélice mais antigos e que são bastante criticados pelos passageiros por serem apertados e barulhentos, como os ERJ, da própria Embraer, e os CRJ, da canadense Bombardier, dois projetos da década de 1990, por um modelo mais confortável e silencioso.

Em entrevista à revista Aero Magazine, o vice-presidente sênior de Engenharia, Tecnologia e Estratégia Corporativa da Embraer, Luis Carlos Affonso, disse que a ideia dos motores montados na cauda da aeronave proporcionarão uma cabine mais silenciosa e um desempenho semelhante aos dos aviões a jato, que são o que há de mais moderno na aviação comercial.

Hidrogênio como combustível

Visão traseira do novo avião da Embraer
Aeronave pode chegar ao mercado já nos próximos meses. Crédito: Embraer/Divulgação

Segundo estudos da empresa, montar os propulsores na cauda da aeronave está diretamente ligado ao tipo de combustível planejado pela companhia. A Embraer pretende usar o hidrogênio líquido para abastecer o avião, o que exige um posicionamento diferente dos tanques de combustível do avião, processo que é facilitado por motores traseiros.

Além de reduzir o ruído interno, os motores na cauda proporcionam um desenho aerodinâmico mais minimalista, principalmente nas asas. A previsão é que o novo turbo-hélice da Embraer tenha um custo até 15% menor por passageiro em comparação com os modelos atuais, além de realizar os trajetos em até 80% do tempo, contudo, esses dados ainda podem mudar com base no avanço do projeto.

Leia mais:

Hoje, o turbo-hélice ainda está em fase de avaliação de mercado e passando por estudos técnicos. Porém, segundo o presidente-executivo da Embraer, Francisco Gomes Neto, o projeto tem sido visto com bons olhos pelo mercado, principalmente pelas companhias aéreas dos Estados Unidos, por conta disso, o avião pode ser lançado já nos próximos meses, mas ainda sem uma data exata para isso.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!