Um aliado do trabalho que ganhou ainda mais força durante a pandemia, as chamadas de vídeo vieram para ficar e estão ocupando um espaço cada ver maior no mercado corporativo. No entanto, como uma modalidade nova e que foi adotada de última hora por muitas empresas que precisaram do trabalho remoto para manter o distanciamento, alguns cuidados precisam ser tomados na hora desse tipo de reunião.

Os exemplos são muitos, seja em aulas ou no trabalho, existem diversas cenas na internet de pessoas que acabaram passando apuros por conta da tecnologia. Recentemente, o apresentador dos canais ESPN, Felippe Facincani apareceu sem camisa durante uma transmissão na TV, o caso chamou a atenção nas redes sociais e contou também um uma falha técnica do canal.

publicidade

Recentemente, a mulher de um vereador do Ceará apareceu nua na câmera e na Itália, um parlamentar surgiu tomando banho durante uma reunião à distância.

Mas que cuidados precisam ser tomados em chamadas de vídeo? E será que quem divulga essas imagens pode sofrer algum tipo de punição na justiça? Segundo o advogado Thiago do Val, em entrevista ao Olhar Digital, a legislação sobre o tema ainda não é muito específica, mas alguns critérios podem ser usados para entendermos como lidar com situações do tipo.

Cuidados nas chamadas de vídeo

Primeiramente, o especialista explica que, mesmo em casa, o funcionário ainda está trabalhando e portanto regras de comportamento e vestimentas do espaço físico precisam ser mantidas. A exceção, claro, são empresas que adotem novos manuais de conduta ou tenham orientações diferentes para o home office.

“A gente tem que partir do princípio de replicar o que você usava no ambiente de trabalho. Bom sendo muda para cada um, mas é importante sempre pensar se a sua vestimenta está de acordo com a situação em que a reunião ocorre”, explica o advogado.

chamadas de vídeo
Imagem: HaticeEROL (Pixabay)

Punições para os envolvidos

Além disso, o especialista diz que as empresas precisam começar a pensar em regras e manuais de uso para ferramentas digitais, já que o trabalho remoto pode continuar em muitos lugares mesmo após o fim da pandemia da Covid-19.

“Agora as reuniões de empresa a gente entra nesse ponto, a necessidade de você ter políticas de comportamento, de uso da ferramenta, de evitar determinados comportamentos”, completou. Isso é preciso ainda por conta da exposição que aquelas pessoas dão para a empresa.

Sobre punições, Thiago explica que casos de conteúdos vazados de chamadas de vídeo entre duas pessoas podem ser enquadrados em regras semelhantes as de chamadas telefônicas, em que o conteúdo pertence a ambos os envolvidos. No entanto, em reuniões de grupo, ainda mais que envolvem a imagem, o cenário pode ser bastante diferente e pode, inclusive, ter punições para a empresa que organiza a reunião ou evento.

“Se a pessoa descobre uma situação dessas (vazamento de imagem) em um ambiente de trabalho, a empresa é responsável, ela (a justiça) pode punir a pessoa que fez o ato, mas a empresa também tem responsabilidade”, completou o especialista.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!