O grupo Anonymous provocou um defacement no site do FIB Bank, a empresa privada usada para compras da Covaxin na última sexta-feira (03), publicando mensagens contra o presidente Jair Bolsonaro. A interferência, intitulada #OpFibBank, foi organizada pela célula EterSec dos hacktivistas e é uma retaliação direta às respostas de Roberto Pereira Ramos, diretor-presidente da instituição, durante a CPI da Covid-19.

Durante a ação, o Anonymous derrubou a página principal da instituição, incluindo um vídeo com uma mensagem contra o presidente, em inglês, com legendas em português. Os ativistas também chamaram as pessoas para se manifestarem no dia 7 de setembro — data em que manifestações a favor e contrárias ao governo estão agendadas.

publicidade

“Ao presidente, resta apenas a mensagem de que nós não vamos aguardar parados enquanto vocês flertam com um golpe”, avisa o manifesto do Anonymous contra Bolsonaro. “A guerra está declarada, e nós vamos fazer você pagar por seus crimes.”

O site havia se recuperado da alteração da #OpFibBank, mas no momento, se encontra fora do ar. Interessados em visualizar a mensagem na íntegra podem acessá-la através do Wayback Machine na data do acontecimento.

Empresa entra na mira dos ativistas por acusações de fraude

Além do defacement e do discurso do Anonymous contra Jair Bolsonaro, a #OpFibBank vazou documentos revelando que a instituição atuou como fiadora num acordo entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde. A empresa privada, que não possui autorização para agir como banco, ofereceu garantia financeira de R$ 80,7 milhões entre as partes envolvidas para a compra da vacina indiana Covaxin.

No dia 25 de agosto, o diretor do FIB Bank, Roberto Pereira Ramos Junior, levantou suspeitas de fraude durante seu depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. O discurso expôs irregularidades após duas pessoas do quadro societário da empresa alegaram nunca participarem da organização. Outras duas, sócias participativas, estão mortas.

Via Poder360

Imagem: gualtiero boffi/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!