A Via, dona das marcas Casas Bahia e Ponto, anunciou nesta quarta-feira (8) o investimento em três fintechs: GoPublic, Poupa Certo e Byebnk. Os aportes fazem parte do Via Next, programa de Corporate Venture Capital (CVC) da empresa em parceria com o hub Distrito e tem o objetivo de digitalizar os negócios da empresa e expandir seus serviços financeiros.

O CVC prevê o investimento de R$ 200 milhões pelos próximos cinco anos e, além do montante, a Via também planeja lançar cartões de crédito e uma linha de crédito pessoal por meio do banQi, parte do braço financeiro do grupo.

publicidade
Imagem mostra o logotipo da empresa Via, nova marca da antiga Via Varejo.
Via, dona das Casas Bahia e Ponto, anuncia investimento em trio de fintechs. Crédito: Reprodução/Via

As fintechs que receberam os aportes oferecem desde soluções de crédito até educação financeira.

A GoPublic, por exemplo, oferece um ecossistema de soluções de crédito as a service, e a Poupa Certo possui estratégias de gameficação para educar financeiramente consumidores. Já a Byebnk é especializada em negociações de criptomoedas por meio da chamada “tokenização”.

Juntas, as fintechs corroboram com a visão de fortalecimento do ecossistema da Via, conforme afirmou o Chief Innovation Officer da empresa, Helisson Lemos.

“O investimento da Via Next nessas três fintechs nos permite ganhar velocidade e fortalecer o ecossistema financeiro para nossos clientes, consumidores e para os lojistas do nosso marketplace”, disse.

O executivo também ressaltou que os aportes têm em vista retorno financeiro e impacto sobre o ecossistema da companhia no longo prazo.

As transações feitas pela Via seguem o formato convertible debt, que é quando o valor investido entra como um empréstimo que pode ser convertido futuramente em ações.

De acordo com dados do Distrito, o investimento de empresas em startups no Brasil disparou em 2021, atingindo US$ 622 milhões.

Leia mais!

“A principal ‘Via’ de compras”

Desde o começo de 2021, a Via vem apostando no investimento de fintechs. Após anunciar a reformulação do seu nome, antes conhecida como Via Varejo, a companhia comprou a Celer, plataforma proprietária de soluções de pagamento e que trabalha com oferta de Bank-as-a Service (BaaS).

Todo o redirecionamento vai ao encontro da estratégia de se tornar um player de mercado para além do varejo tradicional. Ou, como eles mesmos delinearam em um anúncio via LinkedIn: se tornar “a principal Via de compras e de vendas do país”.

Crédito imagem principal: ITTIGallery/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!