O quão comum é para pessoas totalmente vacinadas contraírem a doença causada pelo vírus da Covid-19? Os dados mostram um número alto de infecções entre pessoas de 40 a 79 anos. A informação é baseada na publicação recente da Public Health England, que mostra quantos dos novos casos, admissões hospitalares de emergência e mortes ocorreram entre pessoas não vacinadas, parcialmente vacinadas ou totalmente vacinadas. E

Os números nos dão a primeira indicação de como as vacinas contra a Covid-19 são eficazes em proteger as pessoas de contrair o vírus ou de sofrerem graves problemas de saúde. Dos 554.896 novos casos registrados em adultos das últimas quatro semanas até 5 de setembro, mais da metade (50,6%) ocorreu em pessoas que já haviam recebido duas doses da vacina. Em comparação, apenas um em cada cinco casos foi em adultos que ainda não receberam uma única injeção.

publicidade

Por mais que seja mais fácil contar o número de pessoas totalmente vacinadas, contabilizar o número de pessoas não vacinadas é difícil. Existem duas fontes principais que podemos usar para esses números: estimativas populacionais do Office for National Statistics (ONS) e números do Serviço Nacional de Gerenciamento de Imunizações (NIMS).

Leia mais:

Sendo assim, onde tem alta cobertura de vacinação, há muita incerteza sobre quantas pessoas não vacinadas existem. Mais de 39 milhões de adultos receberam pelo menos uma dose de vacina. Os números do NIMS indicam 10 milhões não vacinados, enquanto o ONS diz que são apenas 5 milhões. 

Como resultado, a conclusão dos dados é que é muito provável que estar totalmente vacinado reduza sua chance de contrair Covid-19. Sem contar que as taxas de admissão hospitalar de emergência e morte são enormemente mais baixas para os vacinados em todas as faixas etárias.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!