Um bólido, tipo de meteoro com mais força que o normal, passou por Vitória, Espírito Santo, traçando um risco que iluminou o céu e foi capturado por câmeras da administradora de empresas e astrônoma amadora Luciana Fontes, que é ligada ao grupo Exos Ciência Cidadã de observação.

Chama-se “bólido” o meteoro com brilho excepcionalmente alto, que invariavelmente acaba iluminando a região por onde passa com maior intensidade do que meteoros comuns. Entretanto, a palavra pode ter significados variados, de acordo com o contexto, sendo usada também em referência para qualquer corpo celeste com capacidade de formar crateras. Pode ser também um sinônimo para as “bolas de fogo”.

publicidade

Leia também

De acordo com Luciana, que falou ao G1, a sua casa tem instaladas duas das sete câmeras (distribuídas em cinco estações de observação) ligadas ao sistema CAMS/Nasa, funcionando especificamente durante a noite, quando a observação de objetos do espaço é facilitada. Além disso, a astrônoma também conta com uma câmera de vigilância ligada 24h por dia.

Ela informa que a passagem do meteoro pelo Espírito Santo durou cerca de quatro segundos, por volta da 1h38 de ontem (20). Luciana estima que ele tinha magnitude -4, que especialistas consideram como de brilho bem alto.

Não é a primeira vez que um corpo celeste cruza os céus capixabas: em maio deste ano, a chuva de meteoros conhecida como “Eta Aquáridas” iluminou a região sudeste, sendo vista não só do Espírito Santo, mas também de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Ainda antes da Eta Aquáridas, também na região Sudeste, vimos uma bola de fogo passar bem perto de nós, em março deste ano. O evento foi capturado pelas câmeras da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON).

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!