A ideia é homenagear a primeira moto da história da marca: a Model 1, de 1905. A Harley Davidson S1 Mosh/Tribute é uma e-bike com várias características que remetem à esse modelo centenário.

Dá para fazer uma comparação visual. A referência pode ser ser vista abaixo. Dá para notar como uma bicicleta faz mais justiça ao visual de uma motocicleta de 116 anos atrás que uma motocicleta moderna jamais poderia fazer:

publicidade
Motocicleta Harley-Davidson Model 1 (Imagem: Wikimedia Commons)

Esta é a homenagem:

e-bike Harley Davidson S1 Mosh/Tribute
E-bike Harley Davidson S1 Mosh/Tribute (Imagem: Divulgação)

Para reforçar a ilusão de uma moto, os cabos da S1 foram escondidos dentro dos tubos, que seguem a cor preta da original. Os pneus, saltando à vista, são brancos. A correia de transmissão é por uma cinta Carbon Drive, o que promete ser mais suave que a corrente com a de uma bicicleta tradicional.

Harley-Davidson já está na terceira e-bike

Pode soar surpresa para quem acaba de ler, mas a Harley-Davidson anunciou sua entrada no ramo de e-bikes em 2019. Em novembro passado, lançou dois modelos: o Mosh/Cty e Rush/Cty Step Tru. Esperava-se que seriam as bicicletas mais caras do mundo, mas ela deixou “barato” por US$ 3.399 e US$ 4.399 (respectivamente R$ 18.470 e R$ 23.904 na cotação de hoje).

A Mosh/Tribute terá especificações idênticas à Mosh/Cty. É movida com um motor de 90Nm e velocidade máxima assistida de 25 km/h. A bateria, de 529 Wh, promete uma autonomia para até 169 km, em condições ideais, e recarga de 0% a 75% em 2,6 horas. O freio é à disco, movido a pistão, nas duas rodas.

A diferença está principalmente no estilo. E, para isso, o preço é quase o de um carro clássico: US$ 5.999 (R$ 32.563).

A submarca da Harley-Davidson responsável por e-bikes chama-se Serial 1. A Mosh/Tribute está em pré-venda com entregas programadas para o fim do ano. Pode ser vista aqui.

Leia mais: