James Williams é um ex-funcionário do Google que decidiu deixar o Vale do Silício para se dedicar a uma pesquisa de doutorado em Oxford sobre a ética no design, trabalho que lhe rendeu um prêmio Nine Dots em 2017 e um livro sobre a exigência de atenção das redes sociais.

Denominado como “Stand Out of Our Light”, ou “Liberdade e resistência na economia da atenção” na versão em português, o livro coloca em questionamento como a atenção conquistada pelos algoritmos colocam em risco os propósitos morais e futuro dos usuários.

publicidade
Redes sociais
Ex-funcionário do Google afirma que redes sociais competem por atenção dos usuários. Créditos: Shutterstock

Em uma entrevista ao jornal O Globo, Williams afirmou que os usuários são vistos como produtos pelas redes sociais e que isso é feito, principalmente, por aqueles apps que são gratuitos. “A captura e exploração de nossa atenção é o objetivo principal do design da maioria dos serviços digitais”.

O ex-funcionário do Google relatou que as discussões sobre a tenção retida pelas redes sociais se tornam pautas sobre o conteúdo e não sobre a consequência. “Isso evita que soluções significativas sejam propostas e, em última análise, ajuda a consolidar ainda mais o poder das plataformas dominantes. Nada mudou na estrutura fundamental da economia da atenção”, explicou.

Leia também!

“A solução tem muitas dimensões e discuto várias. Não acho que rejeitar a tecnologia seja viável ou desejável. Em um nível superior, temos de reconhecer a crise de atenção como problema político e cultural que existe e colocar esses sistemas sob nosso controle”, disse Williams.

O pesquisador acredita que os maiores vilões são os incentivos para a captura e exploração da atenção humana, como a publicidade, que “surgiu em um mundo com escassez de informações, mas agora que as informações são abundantes, não está claro qual é o propósito social”.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!