Na noite desta segunda-feira (4), o Facebook, por meio do seu blog, afirmou que a interrupção de seis horas – em que o todos os aplicativos ficaram fora do ar – foi o resultado de uma alteração de configuração em roteadores que coordenam o tráfego da rede.

“Nossas equipes de engenharia aprenderam que as alterações de configuração nos roteadores de backbone que coordenam o tráfego de rede entre nossos data centers causaram problemas que interromperam a comunicação. Essa interrupção no tráfego de rede teve um efeito cascata na maneira como nossos data centers se comunicam, interrompendo nossos serviços”, disse a empresa.

publicidade

Leia mais:

O CEO da marca, Mark Zuckerberg, postou um pedido de desculpas. “Desculpe pela interrupção de hoje – eu sei o quanto você confia em nossos serviços para se manter conectado com as pessoas de quem você gosta”, escreveu.

A interrupção começou por volta das 11h40 da última segunda-feira e gerou problemas para a plataforma em todo o mundo. Essa queda é considerada a pior interrupção do Facebook desde 2019, quando a rede social ficou fora do ar por mais de 24 horas. 

“Entendemos o impacto que interrupções como essas têm na vida das pessoas e nossa responsabilidade em mantê-las informadas sobre interrupções em nossos serviços”, concluiu o comunicado do Facebook.

Apesar dos rumores de ataque hacker, a empresa afirmou não ter evidências de ter sofrido algum tipo de ofensiva, e deixou a entender que foi um erro próprio que ocasionou toda a situação.

A queda do Facebook ocorreu um dia depois da denunciante Frances Haugen testemunhar no Congresso sobre as suas experiências na empresa. Nessa ocasião, Haugen, uma ex-gerente de produto da empresa de Zuckerberg, forneceu uma coleção de documentos internos da plataforma para os repórteres do Wall Street Journal. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!