Apesar do sucesso internacional, ‘007 – Sem Tempo para Morrer‘, o mais recente filme da franquia James Bond, arrecadou somente US$ 56 milhões nas bilheterias dos Estados Unidos (EUA) no primeiro fim de semana em cartaz. O valor abaixo das expectativas é um sinal de que o setor ainda sobre com os resquícios da pandemia de Covid-19, e de que até mesmo uma das maiores franquia da história do cinema precisa lidar com o panorama.

Para alguns lançamentos, especialmente em meio à pandemia, um fim de semana de estreia com resultados próximos aos US$ 56 milhões seria motivo para (muita) alegria. Mas ‘Sem Tempo para Morrer’ não é um filme normal e nunca foi tratado como um. O mais recente título da marca ‘007’ conta com um orçamento de produção de US$ 250 milhões, sem falar em mais de US$ 100 milhões gastos exclusivamente marketing.

publicidade

Se acrescentando ainda dezenas de milhões por conta do adiamento do lançamento – que deveria ter ocorrido em abril de 2020 antes da pandemia alterar os planos -, especialistas em bilheteria estimam que ‘007 – Sem Tempo para Morrer’ precisaria arrecadar, no mínimo, US$ 800 milhões na bilheteria global para gerar dinheiro exclusivamente na janela nos cinemas.

Daniel Craig como James Bond em '007 - Sem Tempo Para Morrer'. Imagem: Nicola Dove/MGM
Daniel Craig como James Bond em ‘007 – Sem Tempo Para Morrer’. Imagem: Nicola Dove/MGM

Antes do fim de semana, projetava-se que último filme com Daniel Craig como o agente secreto arrecadaria entre US$ 60 e 70 milhões nos primeiros três dias de lançamento. Logo, os US$ 56 milhões coletados não apresentam um desastre, mas de fato ficou aquém do esperado.

Porém, há esperança para ‘007 – Sem Tempo para Morrer’, principalmente pela boa venda de ingressos na bilheteria internacional. Até agora, o filme arrecadou com o público no exterior impressionantes US$ 145 milhões. Ao todo, o longa registra US$ 313 milhões. A mais recente aventura de ‘007’ abriu na maioria dos principais mercados, exceto na China (definido para 29 de outubro), um território popular para todos os produtos relacionados ao agente secreto.

Ainda vale ressaltar que a franquia tem vários parceiros de marketing e acordos auxiliares, como Rolex, Aston Martin e outros, que podem ajudar a aliviar potenciais perdas – e provavelmente já estavam preparadas para o cenário.

‘007 – Sem Tempo para Morrer’ contra pandemia e… Venom?

O vilão Carnificina, interpretado por Woody Harrelson, em 'Venom 2'. Imagem: Sony Pictures/Reprodução
O vilão Carnificina, interpretado por Woody Harrelson, em ‘Venom 2’. Imagem: Sony Pictures/Reprodução

Na bilheteria dos EUA, o lançamento de ‘Sem Tempo para Morrer’ foi o pior se comparado as entradas recentes da série – ‘Contra Spectre’ (US$ 70 milhões) e ‘Skyfall’ (US$ 88 milhões). Os resultados levemente silenciados são atribuídos a vários fatores, incluindo a hesitação do público mais velho em retornar aos cinemas, ao longo tempo de longa (duas horas e 45 minutos, algo que limita o número de exibições por dia) e também por enfrentar uma competição real nas bilheterias.

Leia mais:

Afinal, a sequência de ‘Venom: Tempo de Carnificina‘, da Sony Pictures, estreou na semana passada e continua a atrair multidões, o que pode ter “canibalizado” a venda de ingressos para Bond.

Mesmo assim, ‘007 – Sem Tempo para Morrer’ conquistou o primeiro lugar nas bilheterias nacionais, enquanto a sequência de ‘Venom’ caiu para o segundo lugar, com US $ 32 milhões – valor que é maior do que muitos lançamentos na era pandêmica. No total, o simbionte gerou poderosos US$ 185 milhões em todo o mundo, atualmente.

Fontes: Variety e Deadline

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!