O iPod completou neste sábado (23/10) comemorou o seu aniversário de 20 anos de lançamento de maneira discreta. O dispositivo, que em 2001 competia ombro a ombro com os MP3 players portáteis e inaugurou 22 dispositivos só em uma década, hoje sopra as velinhas sozinho no site da Apple, com um iPod Touch.

No entanto, a série é responsável pela extensão dos princípios de design dos produtos da empresa de Cupertino, juntamente ao iPhone. O dispositivo, que começou como um tocador de mídia portátil, passo a incluir câmeras, gravador, agir como HD externo, rodar jogos e estabelecer o iTunes como gerenciador do dispositivo.

publicidade

O seu princípio de design antecipou algumas das decisões futuras da Apple, com o iPod Nano abrindo caminho para se tornar o primeiro protótipo de smartwatch da empresa através do Nano Watch. Assim como as pulseiras de hoje, o dispositivo, através de um app da Nike, conseguia retirar indicadores de treino.

Para desenvolvedor do iPod, produto elevou relevância da Apple

Tony Fadell, o antigo executivo da Apple responsável pelo design e construção do iPod, estava reflexivo com a chegada do aniversário de 20 anos do tocador de música. “Muitas pessoas ainda lembram dos dias de iPod”, afirmou ele ao CNET. “Era realmente um superpoder.”

O desenvolvedor afirma que, à época do lançamento do iPod, a Apple era uma empresa de computadores que sofria para se estabelecer no mercado. E acredita que a chegada do produto, que na época permitia a organização de faixas em mp3 (baixadas legalmente ou não) foi responsável pela mudança de futuro da empresa.

“Você começa com música, acrescenta algumas fotos e podcasts e vídeos e jogos”, afirma Fadell. “Então continua aprofundando mais e dando a eles mais coisas novas”.

Por fim, Fadell também acredita que, 20 anos depois, a relevância do iPod está em ditar até mesmo a forma que produtos digitais são adquiridos no ecossistema da Apple. O princípio de manter usuários dentro das plataformas centralizou a compra de músicas no iTunes, que levou ao surgimento da App Store.

“Tudo realmente aconteceu por conta do iTunes e do iPod e como a integração entre os dois funcionava incrivelmente bem”, afirma o desenvolvedor, que explica que a medida, no início, era por questões de compatibilidade.

Imagem: marleyPug/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!