E a ciência vem para ajudar o ‘projeto verão’ daqueles que buscam um melhor resultado na academia. De acordo com um estudo publicado no Physiological Reports, que analisou homens que estão em risco ou com diagnóstico de diabetes tipo 2, o melhor horário para os treinos diários é na parte da tarde, resultando em um melhor desempenho metabólico e perda de gordura quando comparados aos que treinam pela manhã.

Os pesquisadores não souberam explicar exatamente qual a combinação de fatores que faz com que o treino à tarde seja mais vantajoso, sendo necessário maiores estudos. Contudo, a equipe pôde especular com base no que se sabe sobre a fisiologia humana e o tempo biológico o que pode ocorrer para esse melhor funcionamento neste período específico

publicidade

Leia mais!

“Nosso corpo tem um relógio biológico e ele regula muitos processos no corpo e esses processos têm um ritmo”, disse o autor do estudo, Patrick Schrauwen, professor de Aspectos metabólicos do diabetes tipo 2 na Universidade de Maastricht, na Holanda.

“Alguns deles são bem conhecidos, como sua temperatura corporal e sua pressão arterial”, disse Schrauwen. “Nossos relógios biológicos também afetam nosso metabolismo e se nossos corpos queimam gordura ou carboidratos em determinados momentos”, acrescentou. 

A ingestão de alimentos também interfere no processo, além de temperaturas corporais mais altas no período da tarde, que pode ajudar no desempenho muscular quase como um aquecimento diário embutido.

Agora vai? Estudo revela qual o melhor horário para treinar; confira. Imagem: Cryptographer/iStock
Agora vai? Estudo revela qual o melhor horário para treinar; confira. Imagem: Cryptographer/iStock

“Quando você começa a perceber o quão forte esse relógio biológico pode ser, e então se você faz coisas como ingerir alimentos na hora errada do dia, ou ficar inativo na hora errada do dia, ou ficar inativo nas horas que você deve ser ativo, isso pode ter um grande impacto “, explicou Schrauwen. “A boa notícia é que você também pode usá-lo em seu benefício.”

O professor observou ainda que não comer lanches à tarde e evitar refeições noturnas pode ter um grande impacto no peso e na saúde geral de uma pessoa. Corroborando com a ideia de Schrauwen, outros estudos também já demonstraram que pessoas que comem muito tarde tendem a consumir mais calorias do que aqueles que deixam para se alimentar pela manhã.

Não sacrifique o sono para treinar

Para Shawn Arent, professor e chefe do departamento de ciência do exercício da Universidade da Carolina do Sul, a qualidade do exercício supera o tempo dedicado à atividade física. Além disso, manter um horário fixo para o treino ajuda o seu organismo a se acostumar com aquela programação, tornando a rotina mais fácil.

“Se você treinar de forma consistente em um determinado momento do dia, você começa a se adaptar a isso”, disse Arent, alertando, no entanto, para os treinos de manhã. O especialista disse ser contra sacrificar o sono para treinar cedo, porque a qualidade geral do sono é mais importante do que fazer um treino extra.

A cura do músculo

Com os exercícios físicos os músculos ficam cheios de feridas microscópicas que, recentemente, cientistas descobriram como se curam. Segundo a pesquisa, após um treino rigoroso, os centros de controle das células musculares – chamados núcleos – correm em direção a esses pequenos ferimentos para ajudar a curá-los, identificando, inclusive, um mecanismo de reparo até então desconhecido que entra em ação após uma corrida na esteira. Clique aqui para saber mais sobre a forma como os músculos se curam dos exercícios.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!