A startup argentina Wibson, especialista em privacidade, chega ao Brasil mirando auxiliar as empresas que terão que se adequar às normas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Desde que a lei entrou em vigor em agosto de 2020, as empresas buscam se adaptar o quanto antes, já que o não cumprimento da diretriz pode resultar em multas pesadas.

Uma das soluções oferecidas pela empresa é um banner inteligente que pode ser inserido nos sites com uma única linha de código. Segundo os criadores, a ferramenta realiza uma varredura no status de privacidade de uma página e em menos de 5 minutos cria um banner, uma política de privacidade e um formulário que pode ser customizado conforme as necessidades de cada empresa. Assim que inserido, a empresa já se enquadra às normas da LGPD.

publicidade
Imagem ilustra o conceito de proteção de privacidade de dados com ícone de um escudo e um cadeado
Banner inteligente auxiliará as empresas a se adequarem às normas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Imagem: NicoElNino/Shutterstock

Considerando que todos os empreendimentos precisam estar de acordo com a LGPD, a startup espera obter um crescimento significativo e gerar um faturamento de R$3 milhões em 2022. Para iniciar a sua operação no país, a Wibson conta com o suporte do fundo Newtopia.

“Muitas empresas não sabem ainda como se adequar à LGPD, principalmente as PME’s, que normalmente não contam com assistência ou um departamento jurídico. É tudo muito novo para todos. Por isso, com o nosso conhecimento, queremos ajudar essas empresas. Nosso objetivo é construir um ecossistema de dados mais transparente e justo, ajudando-as a cumprir os regulamentos começando com o básico: o site”, explica Rodrigo Irarrazaval, CEO da Wibson.

O executivo também ressaltou que caso a empresa não possua uma área de tecnologia que possa fazer essa inserção de código, a startup pode ajudar com o processo.

Leia mais:

Sobre a startup Wibson 

Fundada em 2018 visando ajudar as pessoas a controlarem os seus dados na internet, a Wibson, que recebeu um aporte de US$ 50 milhões do fundo Newtopia, faz parte do PIMCity (um programa da União Europeia que incentiva o desenvolvimento de plataformas de privacidade para o futuro) e também da Associação Brasileira de Legaltech.

Créditos da imagem principal: Ruslan Grumble/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!