O primeiro spray nasal antiviral que age contra a Covid-19 deve passar a ser comercializado em breve. A Birmingham Biotech Ltd, empresa do ramo farmacêutico conhecida por testes diagnósticos e outros sprays, assinou um contrato de licenciamento com a Universidade de Birmingham, que desenvolve o medicamento.

O spray nasal foi desenvolvido levando em conta que o nariz é a principal forma de entrada da Covid-19 no nosso corpo. Com isso, o produto foca em proteger o usuário de contrair o vírus sem necessariamente precisar de máscaras.

publicidade

“Como as restrições do Covid-19 em todo o mundo estão gradualmente diminuindo, há uma necessidade real de métodos eficazes de proteção viral”, disse Liam Grover, do Healthcare Technologies Institute da universidade, que criou a fórmula.

Spray contra Covid-19

“Embora as medidas existentes, como usar máscaras e lavar as mãos continuem sendo essenciais, esse spray nasal fornece uma medida de proteção adicional com potencial para reduzir a transmissão. Estamos entusiasmados por trabalhar com a Birmingham Biotech para levar o spray nasal antiviral a indivíduos em todo o mundo”, completou ainda.

O medicamento atua encapsulando e desativando o vírus enquanto ele está no nariz, evitando que a pessoa seja infectada. Os resultados indicam que o composto é capaz de inativar completamente as amostras do vírus presente nas vias nasais.

“Estamos muito satisfeitos em fazer uma parceria com a Universidade de Birmingham e poder trabalhar junto com seus pesquisadores acadêmicos líderes mundiais para promover inovações médicas. Temos um compromisso compartilhado de levar nosso spray nasal contra Covid-19 patenteado para o maior número possível de pessoas a um preço acessível, com foco nos mercados em desenvolvimento com as maiores necessidades”, disse a Birmingham Biotech.

Vacina no Brasil

Além do spray nasal que combate a Covid-19, existem atualmente vacinas sendo desenvolvidas com a técnica, inclusive no Brasil. O Laboratório de Imunologia do Incor solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) uma autorização para iniciar os testes clínicos em humanos da vacina em spray.

Leia mais:

O imunologista Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do Incor e coordenador da pesquisa, explicou que a ideia é testar o imunizante como reforço em pessoas com esquema vacinal completo. O estudo contará com 280 voluntários, divididos em sete grupos e, ainda segundo o especialista, a previsão para começar os testes é no início de 2022.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!