O Procon de São Paulo anunciou nesta terça-feira (9) a criação de um canal exclusivo para os consumidores denunciarem casos de racismo em relações comerciais. A ação é feita em conjunto com a Universidade Zumbi dos Palmares e tem o intuito de combater discriminação racial em lojas e comércios.

O movimento começou em 2019, após uma pesquisa do Procon constatar que cerca de 65% das pessoas pretas afirmam já terem sofrido racismo nos locais de consumo. No público geral os números ficaram em torno de 55%.

publicidade

A parceria com a universidade tornou a criação do canal possível. A instituição vai entrar com o apoio jurídico e psicológico para os consumidores que forem vítimas de racismo e ainda vai ajudar o Procon com informações sobre os casos.

Procon no combate ao racismo

“O Procon Racial tem origem na constatação de que, também nas relações de consumo, existe um racismo dissimulado. Essa discriminação, que acontece no comércio e na prestação dos serviços, manifesta-se na hostilidade das ações dos seguranças, na recusa em atender o cliente etc.” afirma o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Leia mais:

Além de receber as denúncias, o órgão de defesa do consumidor vai elaborar cartilhas e oferecer palestras para alertar lojistas e o público sobre o tema. A parceria entre as instituições prevê a criação de um canal específico para denúncias no site do Procon-SP, a formação de um núcleo de combate ao racismo na Diretoria de Fiscalização, além do apoio e incentivo aos Procons Municipais conveniados para as ações de fiscalização locais.

“Esse convênio, firmado após diversas reuniões entre Procon-SP e Universidade Zumbi dos Palmares, pretende fazer cumprir um dos objetivos nacionais da República Federativa do Brasil que é o combate a toda e qualquer forma de preconceito”, explica Capez.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!