O Intel 4004 – o primeiro microprocessador comercial completa 50 anos nesta semana. Lançado em 1971, o componente foi fundamental para a popularização dos computadores pessoais, dando início a uma nova fase da tecnologia em todo o mundo. De acordo com a empresa, o legado deste processador é presente nos chips da empresa até hoje.

Em uma época em que um computador poderia ocupar uma sala inteira e que a ideia de se ter máquinas pessoais parecia impensável, a Intel revolucionou a tecnologia ao apresentar um chip cujos circuitos integrados cabia na palma da mão, possibilitando a criação de máquinas mais compactas e eficientes. De acordo com a Intel, a chegada do chip – inicialmente utilizado para a criação de uma calculadora de mesa – estabeleceu uma nova metodologia de design lógico que acabou sendo usada pelas gerações subsequentes da computação.

publicidade

Intel 4004: um marco da computação

Em 1969, a Nippon Calculating Machine Corp – fabricante de calculadoras – procurou a Intel para o desenvolvimento em conjunto de circuitos integrados para o seu novo modelo, a Busicom 141-PF. Com base na tarefa, o engenheiro da Intel Federico Faggin e sua equipe desenvolveram 12 processadores personalizados que posteriormente resultaram em um conjunto de quatro processadores – incluindo o 4004.

Após inúmeros testes, o modelo 4004 – que tinha o tamanho de uma unha humana -, entregou o mesmo poder de computação que o primeiro computador eletrônico, lançado em 1946.

“Em 1970 ficou claro que os microprocessadores mudariam a forma como desenvolvemos sistemas, de hardware para software. Mas a velocidade com que os microprocessadores se desenvolveram ao longo do tempo e foram adotados por todo o setor foi realmente surpreendente”, conclui Federico Faggin, antigo engenheiro da Intel responsável por desenhar e produzir o Intel 4004 com Tedd Hoff e Stan Mazor.

O engenheiro Ted Hoff apresenta o microprocessador Intel 4004 em 1971. Imagem: Intel
O engenheiro Ted Hoff apresenta o microprocessador Intel 4004 em 1971. Imagem: Intel

Ainda segundo a Intel, o 4004 foi tão revolucionário que foram necessários quase cinco anos para que a Intel ensinasse aos seus engenheiros como construir novos produtos baseados em microprocessadores. Ele também serviu como base para outros modelos como o Intel 8080, o Intel Z860 e, claro, o Intel 8086 – que serviu como base para a criação do primeiro PC.

Leia mais:

Tecnologia presente

Segundo a Intel, a importância da celebração dos feitos conquistados pela equipe de Federico Faggin está no seu legado. Sem o 4004 não teríamos a tecnologia necessária para a criação de chips cada vez menores que hoje resultam em modelos como os processadores Alder Lake de 12ª geração.

Os novos chips foram apresentados pela Intel em outubro, o lançamento marca uma nova estratégia da empresa, com chips híbridos que contam com núcleos de desempenho (os P-cores) e núcleos de eficiência (os E-cores). Não por acaso, essa é a mesma arquitetura da Arm, aproveitada com maestria pela Apple em seus processadores da linha M.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!