Uma expedição conduzida pelo Instituto de Pesquisa do Aquário de Monterey, na Califórnia, encontrou uma presa de mamute no fundo do mar, ao averiguar uma elevação incomum de solo a 3.070 metros (m) de profundidade, a 300 quilômetros (km) da costa da Califórnia.

Originalmente avistada pela equipe em 2019, devido a limitações tecnológicas da época a presa do mamute só foi parcialmente retirada do fundo. Apenas em julho de 2021 que o time conseguiu retornar à área e fazer a extração completa.

publicidade

Leia também

Foto mostra três cientistas manipulando a presa de um mamute encontrada no fundo do mar da Califórnia
Cientistas analisam presa de mamute retirada do fundo do mar, na Califórnia (Imagem: Darrin Schultz/Monterey Bay Aquarium Research Institute)

De início, a reação da descoberta foi de estranheza pois, convenhamos, um dos maiores animais terrestres que já viveu no nosso mundo não era muito conhecido por suas atividades marítimas.

“Você aprende a esperar pelo inesperado quando explora as profundezas do mar, mas eu ainda estou chocado com termos ‘tropeçado’ em uma presa de mamute”, disse Steven Haddock, cientista que liderou a expedição. “Somos muito gratos por termos um time multidisciplinar analisando esse espécime espetacular. O nosso trabalho de examinar essa descoberta está apenas começando e estamos ansiosos para compartilhar maiores informações no futuro”.

A presa de mamute encontrada no fundo do mar tem mais ou menos um metro de comprimento e pertence a um mamute da colúmbia (Mammuthus columbi). O material estava em ótimo estado de conservação, preservado pelo ambiente frio e de alta pressão do oceano, permitindo aos cientistas estudá-lo em detalhes.

“O ambiente de preservação desse espécime é diferente de praticamente tudo o que vimos em outros lugares”, disse o paleontólogo da Universidade de Michigan, Daniel Fisher, especializado em mamutes e mastodontes. “Outros restos de mamutes já foram recuperados do oceano, mas nunca em profundidades maiores do que algumas dezenas de metros”.

A equipe agora está conduzindo diversas análises – incluindo tomografias computadorizadas – para determinar informações mais detalhadas sobre o animal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!