Após o ataque hacker que excluiu dados de vacinação do sistema ConnectSUS, o governo federal anunciou a suspensão da exigência de comprovante de imunização para viajantes. Na última quinta-feira (9), o Ministério da Saúde havia determinado que pessoas que chegassem ao Brasil pelos aeroportos e não tivessem o passaporte vacinal precisam passar por uma quarentena de cinco dias.

Agora, a medida será adiada em uma semana até que seja normalizado o sistema. Com isso, a regra que passaria a valer neste sábado (11), entra em vigor apenas no próximo (18).

publicidade

“O ministério está estruturando algumas ações que vão ser tomadas em função da indisponibilidade, em especial do sistema da vacina, mas uma decisão já posso antecipar: estive na Casa Civil, e a gente vai postergar a vigência da portaria que trata das fronteiras, em especial aqueles itens que falam sobre apresentação do comprovante de vacinação ou, em caso contrário, cumprimento da quarentena”, disse o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz.

Leia mais:

Ataque pode prejudicar comprovante

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garantiu nesta sexta-feira (10) que os dados de vacinação não serão perdidos. De acordo com o chefe da pasta, há dados de backup de todas as informações. “Mas esses dados não serão perdidos, o Ministério da Saúde tem todos os dados, é só uma questão de resgatar esses dados e colocá-los à disposição da sociedade”, explicou Queiroga em entrevista coletiva em Belo Horizonte.

Nesta madrugada, os sites do Ministério da Saúde e do ConecteSUS estão fora do ar após um suposto ataque hacker. Já nas primeiras horas do dia, uma mensagem foi deixada pelo grupo invasor e dizia que “você sofreu um ransomware” e “50 TB de dados foram copiados e excluídos”. 

O ransomware é um tipo de vírus que sequestra o acesso aos dados do sistema criptografando-os. Na maioria das vezes, o hacker promete liberar o acesso após pagamento de um valor. Porém, desta vez, o aplicativo do ConecteSUS não foi afetado, que é a plataforma é responsável pela emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!