Com o (suposto?) ataque hacker ao site do Ministério da Saúde nesta sexta-feira (10), muitas pessoas ficaram sem poder emitir seu comprovante de vacinação, uma vez que todos os Estados confiam sua base de dados na plataforma do app ConecteSUS. Algumas cidades, no entanto, possuem sistemas próprios de registro, como são os casos de São Paulo e Belo Horizonte, e a emissão do certificado não foi comprometida — no caso da capital paulista, ainda é possível fazer isso por meios digitais, mesmo com a plataforma federal desabilitada.

Até a tarde desta sexta-feira (10), o app ConecteSUS ainda não havia retornado. Por conta disso, veja algumas cidades onde é possível emitir o certificado de vacinação pelos meios digitais.

publicidade

São Paulo (SP)

Quem se vacinou na cidade de São Paulo tem acesso ao app e-Saúde SP, onde consta todas as informações de imunização no campo Passaporte da Vacina. A Secretaria Estadual de Saúde também oferece o comprovante de vacinação por meio do aplicativo do Poupatempo Digital.

Salvador (BA)

Na capital baiana, a prefeitura fornece uma Carteira de Vacinação Digital, que está disponível gratuitamente e é válida para todo o território nacional.

Recife (PE)

Em Recife, capital de Pernambuco, é possível comprovar o certificado de vacinação por meio do aplicativo ConectaRecife. O aplicativo pode ser acessado pelo site da prefeitura ou baixado de forma gratuita tanto no sistema operacional Android quanto no iOS. Para fazer o login, basta informar o número do CPF e senha.

Fortaleza (CE)

De acordo com a Secretaria de Saúde de Fortaleza, embora tenha passado por instabilidades no início do dia, a plataforma Vacine Já, que informa as datas de vacinação contra a Covid-19, está operando normalmente. A plataforma Saúde Digital, da Sesa (Secretaria de Estado de Saúde do Ceará), também segue sem problemas.

Curitiba (PR)

Os habitantes de Curitiba podem emitir seu certificado de vacinação através do aplicativo Saúde Já. A Secretaria de Saúde do município informou ao Olhar Digital que a capital paranaense tem um sistema de prontuário eletrônico próprio, o E-saude, que possui “recursos de segurança robustos e é constantemente atualizado”. O app está disponível no site da plataforma.

João Pessoa e Campina Grande (PB)

Nas duas cidades da Paraíba, é possível acessar o comprovante de vacinação pelo aplicativo Vacina João Pessoa e Vacina Campina Grande.

Rio de Janeiro (RJ)

O Rio de Janeiro também tem um app disponível para iPhone, o Rio Covid-19, mas como os dados são fornecidos pelo app ConecteSUS, a prefeitura da cidade está aconselhando os moradores a apresentarem o passaporte da vacina em papel. O cartão de vacinação pode ser retirado nos postos em que o morador do Rio efetuou sua imunização.

Belo Horizonte (MG)

Ao Olhar Digital, a Secretaria de Saúde de Belo Horizonte (MG) informou que a vacinação na cidade não será prejudicada por causa do ataque hacker ao ConecteSUS. A prefeitura possui um sistema próprio em que registra as vacinações; ao final do dia, os dados são, então, repassados ao Ministério da Saúde. Também nesta sexta-feira (10), o secretário municipal de saúde, Jackson Machado, disse que estuda a criação de um app próprio do município.

Cidades fora do ar

Algumas capitais, no entanto, utilizam o sistema de dados do ConectaSUS e, por conta disso, não conseguem registrar as doses que estão sendo lançadas nesta sexta-feira (10). Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a falta de acesso aos dados do ConecteSUS está levando os funcionários de saúde a anotarem a aplicação de vacinas manualmente. O mesmo acontece em Goiânia, capital de Goiás, onde a plataforma de notificação do município está fora do ar, o que tem gerado fila e dificuldade de vacinação nos postos da cidade.

No Distrito Federal, as equipes também não têm acesso ao banco de dados on-line e precisam preencher as fichas à mão para lançamento posterior no sistema. Enquanto o ConecteSUS estiver fora do ar, a apresentação do cartão físico será exigida.

Em Belém, principal cidade do Pará, o sistema de registro de vacinas tem enfrentado problemas desde a terça-feira (7) e, hoje, saiu do ar. Em contato com o Olhar Digital, a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) informou que aguarda posicionamento do Governo Federal sobre o retorno do sistema.

Imagem: Tânia Rego/Agência Brasil

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!