O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson alertou que a Grã-Bretanha está enfrentando uma “onda gigante” de infecções da variante da Covid-19 – Ômicron – e anunciou um grande aumento nas vacinações de reforço para fortalecer as defesas contra o vírus.

Através de um comunicado pela televisão, Johnson informou que todas as pessoas com 18 anos ou mais receberão uma terceira injeção de vacina até o final deste mês em resposta à “emergência” da Ômicron. Além disso, ele disse que os casos da variante altamente transmissível estão dobrando a cada dois ou três dias na Grã-Bretanha, e “há uma onda de Ômicron chegando”.

publicidade

“E temo que agora esteja claro que duas doses da vacina simplesmente não são suficientes para dar o nível de proteção de que todos precisamos”, alertou Johnson. Segundo ele, “a boa notícia é que nossos cientistas estão confiantes de que com uma terceira dose – uma dose de reforço – todos podemos aumentar nosso nível de proteção.”

Ele também anunciou uma “missão nacional” para entregar vacinas de reforço, com centros de vacinação emergentes e sete dias por semana recebendo apoio extra de equipes de planejadores militares e milhares de vacinadores voluntários.

Ômicron Japão
Japão confirma primeiro caso da Ômicron. Imagem: Shutterstock

A meta de Johnson é para 31 de dezembro e se aplica à Inglaterra. Já outras partes do Reino Unido, como Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte também devem acelerar suas campanhas de vacinação. Com isso, a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido avisou que as vacinas existentes parecem menos eficazes na prevenção de infecções sintomáticas, embora dados preliminares mostrem que a eficácia parece aumentar para entre 70% e 75% após uma terceira dose da vacina.

Leia mais:

O anúncio de Johnson veio horas depois de o governo elevar o nível oficial de ameaça do coronavírus no país, alertando que a rápida disseminação da variante omicron empurrou o Reino Unido para um território de risco.

Os diretores médicos da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte disseram que a presença da nova cepa altamente transmissível “acrescenta um risco adicional e crescente para o público e os serviços de saúde ” em um momento em que a Covid-19 já está disseminado. 

As preocupações com a nova variante levaram o governo de Johnson a reintroduzir restrições que foram suspensas há quase seis meses. Ou seja, devem ser usadas máscaras na maioria dos ambientes internos, os certificados da Covid-19 devem ser mostrados para entrar em casas noturnas e as pessoas são incentivadas a trabalhar em casa, se possível.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!