Nesta terça-feira (14), o ministro das Comunicações, Fábio Faria, revelou em entrevista ao programa A Voz do Brasil do governo sobre o cronograma de implantação da nova geração de conectividade móvel, o 5G. De acordo com Faria, Natal, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte irão receber a infraestrutura para a tecnologia.

A operadora de telecomunicações TIM foi uma das arrematantes do leilão do 5G e divulgou que já está em processo de execução do chamado 5G Full, o qual usa bandas específicas dedicadas ao funcionamento total da tecnologia nas cidades em questão

publicidade

Isso ocorre por conta dos termos de implantação da tecnologia que preveem que as operadoras poderão iniciar o uso das frequências de imediato, desde que conte com o cumprimento do prazo de cobertura para todas as capitais até julho de 2022.

O ministro citou Franca (AM), Uberaba (MG) e Uberlândia (MG) são exemplos de localidades que já iniciaram os protocolos necessários para o 5G. Enquanto Natal (RN) também terá uma antecipação. “Ao invés de um número limitado de antenas, eles vão antecipar totalmente o número de antenas do leilão. Teremos isso em vários locais”, informou na live.

Internet no Brasil
Anton Balazh/Shutterstock

“O 4G foi um avanço muito grande. Nós tivemos várias aplicações, como FaceTime, WhatsApp, Uber. Depois do 5G, outras novas virão. Vamos ter, por exemplo, todo o agronegócio conectado. Teremos cirurgias à distância; na educação, as crianças terão 5G – poderão estudar usando realidade aumentada e terão um conhecimento muito avançado”, disse Fábio Faria.

Com isso, o ministro aproveitou a situação para destacar a liderança brasileira na implementação do padrão 5G na América Latina, e disse que a ideia é que o Brasil se torne um centro de inovação.

Leia mais:

Além disso, Fábio Faria enfatizou que uma das principais características do leilão é a inclusão de pessoas que ainda não tinham acesso a nenhum tipo de internet: “Temos hoje, no Brasil, 39 milhões de pessoas sem internet. Sem celular. Elas não sabem o que é um sinal de internet, o que trabalhar em home office, o que é estudar à distância ou visitar um parente via FaceTime. Temos hoje um desafio que é primeiro conectar essas pessoas”.

Já sobre o acesso à internet em estradas e rodovias federais, ele disse que a cobertura integral do 4G no modal rodoviário é uma das exigências que foram contidas nos termos do leilão do 5G.

“Vamos levar internet para todas as rodovias federais. A gente pensou em tudo, em todo o ecossistema que estará interligado. As estradas precisam da internet para o escoamento da produção, para que o caminhoneiro ou motorista possa estudar, baixar conteúdos, receber informações sobre assaltos, sequestros, enfim. Vamos ter um Brasil totalmente conectado”, afirmou.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!