Colares e acessórios que afirmam “proteger” as pessoas das redes 5G de celulares na verdade emitem radiação e podem ser prejudiciais à saúde, diz a Anvs (agência holandesa para segurança nuclear e proteção contra radiação).

A entidade emitiu um comunicado sobre dez produtos nos quais foi encontrada a emissão de radiação e alertou as pessoas a não usarem os produtos. Segunda a agência, a exposição a longo prazo à radiação emitida por eles pode causar problemas de saúde.

publicidade

Teorias das conspiração sobre 5G alimentaram um mercado de produtos “anti-5g”, mas não há nenhuma evidência de que as redes de internet sejam prejudiciais à saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que as redes móveis 5G são seguras e não são fundamentalmente diferentes dos sinais 3G e 4G existentes. As redes móveis funcionam com uso de ondas de rádio.

Apesar disso, tem havido ataques a transmissores por pessoas que consideram as redes 5G prejudiciais.

Leia mais:

Até para crianças

Os produtos identificados como radioativos incluíam uma máscara de dormir, uma pulseira e um colar. Uma pulseira infantil, da marca Magnetix Wellness, também emite radiação. “Não use mais, guarde com segurança e aguarde as instruções de devolução”, afirmou a ANVS em nota.

Pulseira “anti 5G” imagem: RIVM

“Os vendedores holandeses foram informados de que a venda é proibida e deve ser interrompida imediatamente, e que os clientes devem ser informados sobre isso.” Em maio de 2020, o Reino Unido proibiu a venda de um pendrive USB de 339 libras (cerca de R$ 2.557) que alegava oferecer “proteção” contra o 5G. A ANVS publicou em seu site a lista completa dos produtos identificados como radioativos.

Via: Uol

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!