A Food and Drugs Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, anunciou nesta quarta-feira (22) a autorização emergencial do comprimido contra a Covid-19 desenvolvido pela Pfizer.  

“Esta aprovação fornece uma nova ferramenta para combater a Covid-19 em um momento crítico da pandemia, em que novas variantes estão surgindo”, disse em comunicado, Patrizia Cavazzoni, funcionária da FDA.  

publicidade

Leia também!

Batizado como Paxlovid, o medicamento pode ser administrado em pacientes com idade igual ou superior aos 12 anos e que pesem, no mínimo, 40 kg. Os pacientes devem estar alto risco de progressão para a forma mais grave da Covid-19.  

O uso está sujeito a prescrição médica e é necessário tomar um comprimido a cada 12 horas durante cinco dias a partir do começo dos sintomas. De acordo com a Pfizer, a eficácia do antiviral oral é de quase 90% para prevenção de hospitalizações e mortes.  

Novos dados da farmacêutica também indicam que a pílula mantém sua eficácia contra a nova variante Ômicron que, de acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), é de mais fácil disseminação que a cepa Delta.  

Frente da sede do FDA
FDA autoriza uso do comprimido da Pfizer contra a Covid-19. Crédito: Arquivo/FDA

Os estudos desenvolvidos pela Pfizer mostraram que nenhum paciente que recebeu o comprimido contra a Covid-19 morreu, enquanto 12 pessoas do grupo que recebeu placebo vieram a óbito. 

A autorização concedida pela FDA alimenta a esperança no combate a pandemia de Covid-19, principalmente neste momento de incerteza causada pelo surgimento da variante Ômicron. O uso do comprimido poderá facilitar o tratamento da doença em todo o mundo.  

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!