A Apple decidiu fechar mais de 10 lojas nos Estados Unidos e no Canadá por causa do aumento no número de casos de Covid-19 tanto nos consumidores quanto nos funcionários. Desde o início da pandemia, a empresa adotou uma norma de fechar uma loja se cerca de 10% de seus funcionários tiverem testado positivo para a doença.

Os seguintes locais estão fechados desde terça-feira (21):

publicidade

Dadeland, em Miami

The Gardens Mall, em Palm Beach

Lenox Square, em Atlanta

Cumberland Mall, em Atlanta

Highland Village, em Houston

Summit Mall, em Ohio

Pheasant Lane, em New Hampshire

Sainte-Catherine, em Montreal

A empresa também fechou lojas no Havaí, Maryland, Ohio, Ottawa (Canadá) e Texas no início deste mês, embora tenha durado apenas alguns dias. Um de seus locais de varejo em Miami, no entanto, continua fechado.

A Apple disse à Bloomberg em um comunicado que monitora regularmente as condições e ajustam as medidas de saúde para apoiar o bem-estar dos clientes e funcionários, além de continuar comprometida com uma abordagem abrangente para as equipes, que combina testes regulares com exames de saúde diários, máscara de proteção para funcionários e clientes, limpeza profunda e licença médica remunerada. “

Leia mais:

Talvez em um esforço para persuadir as pessoas a fazerem compras online, a Apple está oferecendo aos clientes “entrega gratuita em até duas horas de itens qualificados em estoque”. A oferta não se aplica a produtos customizados, como Macs, Airtags e Airpods. Vale lembrar que a empresa ainda luta contra a escassez de componentes. Ou seja, a disponibilidade desse serviço gratuito provavelmente será limitada.

A Apple havia tomado outras medidas no início deste mês após o aumento de casos e o surgimento da variante Ômicron. Ela optou por adiar seus planos de retorno ao escritório, que estavam programados para começar em fevereiro, e reinstaurou os requisitos de máscara em todas as suas lojas nos Estados Unidos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!