Todo ano, autoridades ecológicas de Israel enfrentam um surto de gripe aviária, mas em 2021, a doença apareceu com maior poder de infecção e já matou 2 mil garças, além de infectar outras 10 mil, em uma reserva de conservação ambiental. De acordo com as autoridades, o número de óbitos é “excepcional”.

Entre os meses de outubro e dezembro, as garças entram em processo de migração, se dirigindo para a África em números que superam a marca de 100 mil animais. No meio do caminho, as garças tendem a parar no Vale Hulla, norte de Israel, quase no meio do caminho desta viagem.

publicidade

Leia também

Em Israel, a gripo aviária já matou diversas garças, que são mostradas na foto
Garças migram em direção à África no fim do ano, fazendo paradas em um vale no norte de Israel: o país enfrenta uma crise de gripe aviária (Imagem: Protasov AN/Shutterstock)

Este ano, especialistas estimam que mais ou menos 40 mil pássaros não retomaram a migração e pararam no vale. Mas com o país atravessando um surto da gripe aviária (H5N1), a região tornou-se um ponto fértil para infecções mais poderosas.

A H5N1 não tem muitos casos de infecção em humanos: segundo o site do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos EUA, desde novembro de 2003, foram registrados pouco mais de 700 casos humanos da gripe aviária, em regiões pelas quais as garças costumam passar, como Ásia, África e Oriente Médio.

Apesar de raro, porém, um caso de infecção por H5N1 pode trazer diversos problemas: dos poucos casos mencionados pelo CDC, cerca de 60% deles resultaram em morte da pessoa infectada. Normalmente, essa gripe ataca o sistema respiratório, causando problemas como pneumonia e falência respiratória.

O CDC afirma que a maior mortalidade humana dessa gripe fica na faixa entre 10 e 19 anos de idade, mas costumeiramente afeta também crianças menores e adultos até os 40 anos.

No caso de Israel, o Ministério da Agricultura do país afirmou que a gripe aviária provavelmente começou com criadouros de galinhas na região norte, o que acabou facilitando a infecção das garças – embora muito raras, há ocasiões em que os pássaros maiores – que são predadores oportunistas – comeram algumas das aves menores.

Uma medida de contenção do ministério foi a suspensão do fornecimento e venda de ovos de galinhas aos mercados de Israel, mas até agora, ainda não há informações de qualquer plano em relação às garças.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!